Cooperativas de Crédito

Tendências do cooperativismo financeiro

Tendências do cooperativismo financeiro
Tempo de Leitura: 3 minutos

Se preferir, ouça a narração deste artigo:

O cooperativismo financeiro deve expandir ainda mais sua atuação no Brasil ao longo de 2022. A projeção é do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop).

Segundo a entidade, serão abertas mais 1,3 mil agências no país este ano, gerando cerca de 13 mil postos de trabalho. E existe uma razão para esse movimento ascendente em meio a um cenário de crise econômica: a oferta de soluções financeiras que atendem às necessidades das comunidades. Confira os detalhes a seguir.

O que é cooperativismo financeiro?

Uma cooperativa é uma união de pessoas com o objetivo de oferecer serviços a esse grupo. Ou seja: os associados são, ao mesmo tempo, clientes e donos do negócio. Esse tipo de organização se caracteriza pela gestão democrática, em que cada participante tem poder de voto, partilhando direitos e deveres iguais.

No caso do cooperativismo financeiro, a ideia é obter acesso a produtos e serviços como conta corrente, empréstimos e investimentos. As instituições cooperativas são isentas de alguns impostos e não visam ao lucro, portanto podem operar com taxas mais baixas.

Dica: O que é cooperativismo? Entenda esse modelo de negócio

Cooperativas de crédito ou cooperativas financeiras?

Tradicionalmente, organizações dessa natureza são conhecidas como cooperativas de crédito. Porém, o termo cooperativa financeira também vem sendo bastante utilizado. Isso porque as associações vão muito além de oferecer empréstimo ou financiamento aos cooperados.

Hoje em dia, quem participa de uma cooperativa encontra inúmeras facilidades. A pessoa consegue abrir uma conta corrente, fazer pagamentos com PIX, contratar seguros ou participar de consórcios

A Cresol é um exemplo. Nossos cooperados têm acesso a cartões, investimentos, previdência privada e muito mais. Além disso, desenvolvemos projetos de educação financeira para orientar o público a cuidar do próprio dinheiro – poupando, investindo e fazendo escolhas de consumo mais conscientes.

Dica: Como abrir uma conta na Cresol: tudo que você precisa saber

Cooperativismo financeiro no Brasil

Segundo dados do Banco Central, o Brasil conta com 863 cooperativas financeiras e 11,9 milhões de associados. Em 2020, a carteira de crédito chegou a R$ 231,2 bilhões, um aumento de 35% em relação ao ano anterior.

Esses números representam a importância do cooperativismo de crédito no país. Organizações do ramo, muitas vezes, chegam aonde nem mesmo o sistema bancário alcança. Por exemplo, 600 municípios brasileiros contam apenas com cooperativas, sem presença de agências bancárias.

Isso mostra como o cooperativismo contribui para democratizar o sistema financeiro, contemplando cidadãos que dificilmente teriam acesso a conta corrente, cartão ou financiamentos. 

Ele também é o maior responsável por conceder empréstimos a pequenas empresas, o que ajuda a fomentar a economia. E o melhor é que todo mundo paga um preço justo por isso, devido às taxas reduzidas.

Dica: Os impactos do cooperativismo de crédito no Brasil

As principais tendências do cooperativismo financeiro

Reportagem recente do jornal Folha de S. Paulo mostra que o cooperativismo financeiro está crescendo no Brasil, indo na contramão de outras instituições financeiras. No texto, o presidente do FGCoop, João Carlos Spenthof, também cita tendências para o setor em 2022. Separamos elas nos tópicos abaixo. Confira:

Expansão nas regiões Norte e Nordeste

A demanda por agências físicas ainda é muito grande, principalmente nos estados das regiões Norte e Nordeste. Em muitas cidades, há carência de instituições financeiras, de modo que a população não tem um local para realizar pagamentos, abertura de conta ou outras operações básicas. 

As cooperativas pretendem suprir essa necessidade.

Fortalecimento nas capitais

Embora o cooperativismo financeiro tenha prosperado bastante no interior do Brasil, essa prevalência nunca foi tão expressiva nas cidades grandes. No entanto, há uma mudança de cenário no horizonte

Em bairros periféricos, as cooperativas surgem como opção para oferecer serviços financeiros com tarifas justas.

Atenção às questões mais complexas

Foi-se o tempo em que o correntista ia à agência bancária somente para solicitar empréstimo, sem nenhuma orientação das consequências possíveis para o bolso. Agora, a tendência é que as unidades físicas das cooperativas sejam espaços de consultoria. Ao chegar ao local, o cooperado pode tirar dúvidas sobre investimentos financeiros ou financiamento de projetos.

Aliás, esse é justamente um dos princípios do cooperativismo: educar, formar e informar o público para todo mundo tomar decisões melhores.

Digitalização

Já os serviços mais básicos serão realizados pelos canais digitais, como o aplicativo de celular. A maioria das cooperativas de crédito brasileiras conta com esse recurso para transferências, pagamentos e aplicações, por exemplo. Tudo muito seguro e prático.

Conte com a Cresol

Gostou de saber um pouco mais sobre cooperativismo financeiro? Esperamos que o conteúdo de hoje tenha sido útil para você.

Nós, da Cresol, acreditamos na união e na cooperação como meios para alcançar a prosperidade. Vamos juntos? Acesse o site e conheça as soluções financeiras que oferecemos aos nossos cooperados.

Categorias: Cooperativas de Crédito , Cooperativismo