Educação Financeira

Previdência privada: entenda como funciona e saiba como se planejar para o futuro

Previdência privada: entenda como funciona e saiba como se planejar para o futuro
Tempo de Leitura: 4 minutos

Se preferir, ouça a narração deste artigo:

Você trabalha a vida toda e tudo que deseja é viver a melhor idade com conforto, tranquilidade e segurança financeira. E quando você menos espera, passaram-se os anos e é hora de se aposentar. 

Mas, considerando o atual panorama financeiro do nosso país, contar somente com a previdência social não é uma boa ideia, afinal, sabemos que o Brasil enfrenta um grande desafio na sustentabilidade do INSS.

Por isso, vale a pena investir desde agora na previdência privada, uma alternativa para complementar sua renda e garantir um futuro mais estável. Fique conosco para entender os detalhes.

O que é previdência privada e como funciona?

Planos de previdência privada funcionam como um investimento de longo prazo. O objetivo é acumular patrimônio por um período, geralmente, superior a dez anos. É por isso que muitas pessoas recorrem ao método para ter uma fonte de renda a mais após a aposentadoria pelo INSS.

Os planos são vendidos por instituições financeiras, como bancos, corretoras e cooperativas de crédito. Cabe à organização fazer a gestão desses valores, de modo que rendam juros no decorrer do tempo.

No país, existem dois tipos de planos de previdência privada. Continue a leitura e saiba mais! 

Quais são os tipos de planos de previdência privada?

Divididas em PGBL e VGBL, as opções de planos de previdência possuem particularidades que consideram o perfil do investidor. 

O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é voltado para contribuintes que fazem a declaração completa do Imposto de Renda. Isso porque há benefícios fiscais. É possível deduzir até 12% da renda bruta tributável na base de cálculo. Assim, você tem, além do valor da previdência, a restituição do IR. 

Já os planos do tipo Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não contam com essa vantagem, sendo indicados para quem realiza declaração simples ou é isento de IR. Por outro lado, o Imposto de Renda só incide sobre os rendimentos desse produto, não sobre o valor total. Vale dizer que esta é a opção mais comum atualmente. 

E quais são os tipos de tributação?

Também é importante observar a diferença entre os dois tipos de tributação da previdência privada.

Se você pretende manter um investimento de médio prazo, com resgate em no máximo dez anos, prefira a Tabela Progressiva. A cobrança se assemelha à tabela do IR: quanto maior for a quantia depositada, mais altas serão as taxas, respeitando-se o teto de 27,5%.

Caso sua ideia seja usufruir do montante bem mais tarde, daqui a 20 ou 30 anos, então a solução está na Tabela Regressiva. Com ela, a alíquota do IR vai baixando progressivamente de 27,5% para 10%. 

Vale observar que a previdência privada segue a linha da educação financeira: quanto maior for o tempo de aplicação, melhores são as condições.

Vantagens da previdência privada

Sem dúvidas, a maior vantagem da previdência privada está na ampliação do patrimônio. Dependendo do produto que você escolher, os rendimentos trarão um retorno bastante satisfatório no futuro. Vai ser possível reforçar a aposentadoria, pagar as contas do mês com folga e até fazer algumas extravagâncias financeiras de vez em quando.

Os planos privados se moldam às necessidades do cliente. Há opções conservadoras, moderadas e agressivas, que abrangem todos os perfis de investimento.

Além disso, existe a portabilidade. Quando as taxas estiverem muito altas ou quando a rentabilidade ficar a desejar, você pode transferir seu dinheiro para outro pacote. Você pode escolher entre fundos da mesma instituição financeira ou, quem sabe, migrar para um novo emissor.

Cuidados na hora de contratar a previdência privada

Com tanta flexibilidade, é preciso tomar alguns cuidados ao contratar esse investimento. 

O primeiro ponto são os custos. Geralmente existe  taxa de carregamento, uma quantia descontada em cima de cada aporte feito na aplicação. Ou seja: sempre que você injetar dinheiro no fundo, parte dele vai para a instituição gestora.

E ainda tem a taxa de administração. Trata-se de um percentual anual que incide sobre o valor total mantido na carteira. 

Outra questão é o período de carência. Algumas seguradoras estipulam prazos que variam entre 60 dias e 24 meses. As informações sobre os prazos deverão ser consultadas no regulamento de cada plano. 

Por fim, devemos alertar sobre o risco desse investimento. Os montantes destinados aos planos de previdência privada não têm respaldo dos Fundos Garantidores de Crédito (FGC e FGCoop). Isso significa que, se a gestora for à falência, os investidores perdem todo o dinheiro.

Dica: Como funciona a conta poupança?

Como juntar dinheiro para a previdência privada

Diante das vantagens e dos riscos, é necessário entender bem o mercado para aderir à previdência privada com segurança. Confira algumas dicas:

1. Tenha uma reserva de emergência

Investimento de longo prazo fica retido na aplicação por vários anos. É um dinheiro com o qual você não pode contar para gastos emergenciais. Por isso, pense em previdência complementar apenas depois de montar sua reserva.

Dica: Poupança: o que é, como funciona e quais são os rendimentos

2. Organize o orçamento

Alguns produtos desse tipo requerem um aporte mínimo inicial. Depois, o ideal é manter uma rotina de pagamentos todo mês, mesmo que sejam quantias pequenas. Assim você cria o hábito de poupar.

Dica: Educação Financeira: aprenda a cuidar de seu dinheiro

3. Faça os cálculos

Analise muito bem as taxas e o regime tributário do plano de previdência privada para decidir onde alocar seus recursos. Uma escolha ruim pode acabar com a rentabilidade. 

4. Monitore os ganhos

Lembre-se de conferir os rendimentos do plano privado e compará-los com outros pacotes. Dependendo da situação, a portabilidade para um novo fundo será vantajosa.

5. Escolha uma instituição idônea

No fim das contas, a mecânica da previdência privada consiste em entregar seu patrimônio aos cuidados de uma gestora. Portanto, certifique-se da seriedade e da credibilidade dessa instituição. Isso diminui as chances de perdas no longo prazo.

É especialmente por essa questão que é imprescindível estar atento e conhecer muito bem a instituição financeira na qual você fará sua previdência. Pesquisa e informe-se para garantir que está escolhendo a melhor opção para você

A Cresol oferece planos de previdência privada para ajudar você a ter um futuro mais tranquilo. Você pode complementar sua aposentadoria, comprar um imóvel, preparar a sucessão financeira ou pagar a faculdade dos filhos. A escolha é sua!

O Cresol Prev é uma solução completa que oferece planejamento financeiro e também a possibilidade de proteger sua família.

Ficou interessado? Quer saber mais? Conheça nossas opções

E aproveite para continuar de olho em nosso blog. Em breve, traremos mais conteúdo sobre educação financeira. Até lá!

Categorias: Educação Financeira