Educação Financeira

Como começar a investir: guia para iniciantes

Como começar a investir: guia para iniciantes
Tempo de Leitura: 4 minutos

Investimentos financeiros são uma maneira de aumentar a sua renda. Engana-se quem acredita que investir é apenas “guardar dinheiro”. Um bom investidor sabe que bons investimentos são sobre criar possibilidades de rendimentos, fazendo — como se diz por aí — que o dinheiro trabalhe para você.

E não é preciso ter muito dinheiro para começar. O mais importante é conhecer os tipos de aplicações e investimentos disponíveis no mercado, conhecer seu perfil financeiro e, é claro, se organizar e planejar um pouquinho. 

Gostou da ideia? Então fique conosco, que hoje vamos explicar como investir dinheiro com segurança!

Quais as vantagens de investir o seu dinheiro?

Um mito que se tem quando se fala em investimento é que se deve começar a investir quando “sobre dinheiro”. 

Para começar a investir, um dos primeiro passos é saber que deve ser um compromisso, ou seja, deve constar na sua planilha de controle financeiro, como a conta de água ou de luz, por exemplo.

Começar a investir cedo gera uma contribuição direta para a educação financeira em toda vida. Quando compreendemos que investimentos não são somente “reservas de emergências” mas, sim, uma forma saudável de lidar com o dinheiro com consciência.

Além disso, ao fazer investimentos, você cria uma segurança que permite que você viva melhor e mais tranquilamente. 

Essa movimentação ajuda a construir patrimônio. Você se liberta do aperto que é viver do salário no fim do mês ou do trabalho autônomo, sempre instável. 

Com uma fonte extra de ganhos, dá para concretizar diversos sonhos, como adquirir imóveis, pagar os próprios estudos ou realizar uma viagem. Parece ótimo, não é?

Dica: 3 hábitos que impedem você de poupar e investir dinheiro

Quais os tipos de investimentos disponíveis?

O mercado financeiro tem evoluído e cada vez mais surgem opções para quem quer começar a investir. Essa diversificação pode causar confusão na cabeça de quem está iniciando esse processo. 

Assim, para esclarecer e te ajudar a entender melhor, nós vamos falar mais sobre dois tipos de investimentos: 

Renda fixa

É o modelo mais conhecido no mercado. Como o próprio nome já diz, ao começar a investir em renda fixa, você sabe exatamente quanto vai receber de rentabilidade sobre o valor aplicado.

A renda fixa é dividida em duas opções. Uma é a pré-fixada, em que a rentabilidade já é definida com base no cenário do momento do início da aplicação. Esse formato diminui ainda mais os riscos para o investidor. 

A segunda opção é a pós-fixada, que está vinculada a indexadores, como o CDI e a Selic. Assim como esses indicadores variam, a rentabilidade do investidor também pode sofrer variação.   

Dica: Renda fixa: o que é e como investir?

Renda variável

Neste modelo, o investimento sofre interferência de tendências de mercado. Por ser muito volátil, é característico de riscos maiores. A renda variável é indicada para quem está atento aos movimentos do mercado, aproveitando as melhores oportunidades e minimizando os possíveis riscos.

Por exemplo, começar a investir em ações é um tipo de renda variável. O investidor sabe que ganhará com a valorização, mas não tem clareza de quanto será. 

Quais são os perfis de investidor?

Os diversos tipos de investimentos foram criados para atender diferentes perfis de investidores. Cada pessoa lida de maneira diferente com o dinheiro e, por isso, entender em qual perfil você se encaixa é importante para se sentir confortável para saber como começar a investir.

Continue a leitura e saiba mais! 

Conservador

Investidores conservadores buscam baixos riscos, mas também rentabilidade menor. O que caracteriza esse perfil de investidor é a constância, ou seja, tem o olhar no médio e longo prazo.  

Moderado

O investidor moderado é aquele que já tem o hábito de investir. Esse perfil procura melhores níveis de retorno, com um risco um pouco maior. 

Arrojado

Esse perfil já conhece o mercado, já investe e busca diversificar sua forma de investir. Estão atentos às novidades do mercado financeiro, sempre à procura de novas opções de rentabilização.

Como começar a investir?

Investimento requer disciplina, paciência e foco em objetivos específicos. Veja o passo a passo com 4 pontos essenciais:

1. Defina seus objetivos

Primeiro, pergunte-se por que você precisa da grana. É para reformar a casa? Ou para abrir um novo negócio?

Sabendo o que você quer fazer, fica mais fácil calcular quanto dinheiro será necessário. Aí, é possível escolher o investimento mais adequado, ou seja, aquele que trará o retorno financeiro esperado.

2. Faça um planejamento 

Também é necessário manter o controle das suas despesas para não gastar demais. Monte uma planilha e registre todas as compras e pagamentos. Depois, corte o que for supérfluo. 

O ideal é sobrar pelo menos 10% de sua renda mensal para dar início a uma reserva financeira.

3. Quite suas dívidas

Empréstimos? Compras a prazo? Quite todos esses boletos. E nada de contrair novas dívidas, claro. É como se você estivesse limpando o terreno para semear frutos.

Em seguida, vá juntando dinheiro até ter seis vezes o valor de sua renda mensal. Essa quantia será sua reserva para emergências.

Dica: Guia para poupar dinheiro

4. Estude sobre investimentos

A reserva existe para imprevistos, como desemprego. Somente após ter o “pé de meia” é que você poderá se aventurar em outros tipos de investimento.

Lembre-se: alguns produtos financeiros não apresentam liquidez imediata, isto é, só dão retorno depois de meses ou anos. Não faz sentido investir em longo prazo sem ter grana para enfrentar o dia a dia.

Qual o melhor investimento para iniciantes? 

Imagine a seguinte cena: você nunca nadou e quer entrar em uma piscina. Você vai se jogar com tudo ou vai entrar aos poucos para saber a profundidade? Possivelmente, você vai “tatear o terreno”, certo? 

Para começar a investir, a lógica é a mesma. É recomendado que você inicie com opções mais conservadoras, como a renda fixa, que traz mais tranquilidade e permite que você vá, aos poucos, se sentindo mais seguro para diversificar seus investimentos e, assim, ampliar sua rentabilidade.  

Gostou? Esperamos que o conteúdo de hoje tenha ajudado você a se preparar para aplicar seu dinheiro e, mais do que isso, que você se sinta incentivado a começar a investir.

Não esqueça de contar com a Cresol para dar o primeiro passo com segurança, solidez e confiança!

Quer mais dicas de educação financeira? Siga de olho em nosso blog. Até a próxima!

Categorias: Educação Financeira