Comportamento

Como funciona a conta poupança?

Como funciona a conta poupança?
Tempo de Leitura: 4 minutos

Se preferir, ouça a narração deste artigo:

A conta poupança é uma velha conhecida dos brasileiros. Em 2021, a caderneta completou 160 anos de história, período em que conquistou uma legião de usuários – mais de 60 milhões investem nessa modalidade.

Há uma série de aplicações financeiras disponíveis no mercado, mas a poupança segue conquistando usuários por ser simples e segura. Quer entender como ela funciona? Você fica sabendo mais sobre vantagens, rendimento e outras informações sobre essa conta a seguir.

O que é a poupança?

A poupança nada mais é do que uma das aplicações financeiras disponíveis no mercado. Trata-se de uma opção de investimento de renda fixa, com baixa complexidade e um alto nível de segurança. 

Por essas razões, é extremamente popular: a caderneta de poupança atingiu valores recordes de captação em abril (R$ 30,5 bilhões) e maio (R$ 37,2 bilhões), no primeiro semestre de 2021. Os dados são da Associação Brasileira dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

E como funciona a conta poupança?

É simples: os valores precisam ser mantidos em depósito por um prazo superior a um mês para que o rendimento seja calculado. De acordo com o Bacen, se o investimento for feito nos dias 29, 30 e 31, a data de aniversário do depósito será contada a partir do primeiro dia do mês seguinte.

Apesar da rentabilização da poupança ser creditada mensalmente, a liquidez é diária. Isso significa que o usuário receberá a remuneração a cada mês, mas pode fazer saques na conta diariamente. Se retirar o valor aplicado antes disso, ele deixa de ganhar.

Confira as vantagens dessa modalidade:

  • Não exige depósito mínimo;
  • Não há prazo de vencimento;
  • Isenção de impostos;
  • Proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop).

Qual é a diferença entre conta poupança e conta corrente?

De acordo com Banco Central do Brasil (Bacen), que é a maior autoridade financeira do país, conta poupança e corrente são duas modalidades distintas de contas de depósito. Elas são oferecidas por instituições financeiras (IFs) autorizadas, como os bancos comerciais e as cooperativas de crédito.

A conta corrente é a modalidade de conta bancária mais conhecida. Nela, o dinheiro é depositado para que seja movimentado sempre que necessário: é possível fazer saques, transferências e pagamentos. É a conta do dia a dia! 

Também é possível movimentar a conta poupança por meio de transferências e cheques, por exemplo, mas o propósito da modalidade é outro: “estimular a economia popular, permitindo a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente”, segundo o Bacen. 

É importante notar que a caderneta de poupança não tem tarifas ou taxas de manutenção e pode ser aberta até por menores de idade, desde que acompanhados por um responsável legal. 

Movimentação da conta poupança

A partir do momento em que a decisão de abrir a conta poupança é tomada, o cliente deverá escolher uma instituição financeira e se informar sobre os procedimentos necessários para a abertura da caderneta. 

Via de regra, serão exigidos documentos de identificação do titular da conta e de seus representantes. Em geral, o futuro usuário da poupança deverá apresentar RG, CPF e um comprovante de residência. A necessidade de ir até uma agência também varia de acordo com a instituição financeira.

Decisão tomada e IF escolhida, é hora do contrato, que irá estipular todas as regras dessa modalidade de conta bancária. As principais normas sobre a movimentação da caderneta são:

1. O usuário não poderá receber seu salário nessa conta;

2. O número de saques, transferências e extratos é limitado a dois por mês.

As restrições existem por conta do objetivo final da conta, que é, como o próprio nome já diz, de estimular a poupança. Para outros fins, o mercado disponibiliza a conta corrente e a conta salário, por exemplo. 

Rendimento da poupança

Investimento seguro, com liquidez diária e cheio de história: a conta bancária preferida do país nasce ainda no Brasil Império. De lá pra cá, é claro, muita coisa mudou. A última alteração significativa aconteceu em maio de 2012, quando ficou determinado que o rendimento da caderneta pode mudar conforme a taxa básica de juros, a Selic.

Quem investiu depois dessa data, vê seu investimento se comportar da seguinte forma: a poupança renderá 70% da taxa Selic sempre que ela estiver abaixo de 8,5%.

A expectativa, no entanto, é que o Copom eleve a Selic em 2021, de modo que a taxa alcance a marca de 8,75%. Nesse caso, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês.

Vale lembrar que a remuneração da poupança é sempre impactada pela Taxa Referencial (TR). Em ambos os cenários colocados acima, é acrescida ainda a variação da TR. 

Destino da poupança

O Banco Central realiza direcionamentos obrigatórios com os recursos recolhidos pela instituição financeira. No caso da caderneta, isso significa que os depósitos captados na poupança são necessariamente destinados ao financiamento imobiliário e a empréstimos rurais.

Isso significa que essa modalidade de conta bancária desempenha ainda uma função importante da sociedade, permitindo que os bancos ofereçam financiamentos aos cidadãos que desejam comprar o seu imóvel.

Resumindo…

Com o passar do tempo, surgiram novas modalidades de investimento no mercado financeiro. Algumas delas são mais lucrativas, mas podem trazer mais riscos também. O importante é saber que não há tipo certo ou errado de aplicação financeira, mas existe o investimento mais adequado para o usuário a depender dos seus objetivos e contexto.

Com abertura descomplicada, regras claras e segurança, a conta poupança segue como uma opção eficiente para quem precisa guardar dinheiro e não quer correr riscos.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil! Continue acompanhando o blog da Cresol para se manter atualizado sobre tudo que acontece no mercado financeiro

Categorias: Comportamento , Educação Financeira