Comportamento

5 dicas para se proteger da inflação

5 dicas para se proteger da inflação
Tempo de Leitura: 3 minutos

Nos últimos tempos, quando você vai ao mercado ou faz outras compras, talvez tenha a sensação de que “seu dinheiro vale menos”, certo? Infelizmente, não é só uma impressão. De fato, nosso poder de compra tem diminuído consideravelmente. 

E essa mudança tem um nome: inflação. Sempre presente nos noticiários, esse fenômeno impacta diretamente em nosso dia a dia, fazendo com que as pessoas sintam — literalmente — no bolso. 

Por isso, é necessário buscar formas de adaptar as finanças pessoais para proteger seu dinheiro da inflação, manter sua vida financeira saudável e poder ficar tranquilo no final do mês. Acompanhe a leitura!

Você já sabe o que é inflação?

Compreender como a inflação funciona na prática é essencial para saber como lidar com ela da melhor forma. Em termos gerais, a inflação é um fenômeno do segmento da economia sobre o aumento dos preços de produtos e, por consequência, do custo de vida da população. 

Tecnicamente, a inflação não deveria ser um problema já que, para equilibrar, existe o reajuste do salário mínimo. O problema é que o reajuste tem ficado consecutivamente abaixo da inflação, o que leva à desvalorização da moeda e, por fim, à diminuição do poder de compra

Para ilustrar, pense no seguinte exemplo: há 10 anos, vamos supor que era possível comprar um determinado produto por R$ 5,00 e o salário mínimo era de R$ 900,00. Atualmente, o preço dele é de R$ 9,00 e o salário mínimo está em R $1.100,00. Percebemos a inflação aqui porque o preço do produto praticamente dobrou, enquanto a remuneração base subiu pouco mais de 20%.

Ou seja: em tese, recebemos menos pelo trabalho que prestamos, enquanto o que precisamos comprar aumenta em uma proporção bastante superior. 

Dica: Taxa Selic, IPCA e IGP-M: o que essas siglas significam no dia a dia

5 dicas para driblar a inflação

Agora que você entende melhor o poder da inflação sobre nossas vidas, é hora de pensar — também de maneira prática — como encontrar formas de diminuir seu impacto em nossas finanças e otimizar nossa relação com o dinheiro para viver bem.

Apesar de parecer um túnel sem fim, com ajustes de hábitos do dia a dia, tem como driblar a inflação e melhorar sua situação financeira mesmo em momentos críticos da economia

Dica: 3 hábitos que impedem você de poupar e investir dinheiro

1. Planejamento financeiro

Parece básico, mas faz toda diferença: se você não tem clareza de onde seu dinheiro está sendo colocado, não consegue identificar o desperdício e, assim, não pode mudar a situação.

Mas não basta só separar as despesas — é preciso detalhar ao máximo.

Sugestão: sempre faça a lista das compras do supermercado. Isso ajuda a saber o que pode ser cortado e quais itens podem ser trocados por opções mais baratas. 

2. Mudança de hábitos de consumo

Procure adaptar a forma como você compra, buscando economizar e optar por mercadorias de menor preço, além de usar serviços recorrentes, como água e luz, com mais consciência. São atitudes pequenas que fazem a diferença

Na alimentação, optar por comer em casa ou levar marmita para o trabalho são maneiras de economizar e, ainda, manter uma vida mais saudável. Você ganha duas vezes: na economia e na saúde!

Dica: Contas de luz e gás aumentaram: dicas para economizar

3. Reserva financeira

Mas não basta somente economizar e pagar menos: é preciso também estar preparado para o futuro. Para isso, investir em uma reserva financeira para momentos de emergência tem que estar no topo da lista. 

Essa é uma forma de se precaver de questões futuras e, se der um aperto financeiro — com a inflação subindo, você tem como dar a volta. 

4. Investimento

Antes de mais nada, tenha claro que investir é diferente de poupar. Investir é direcionar seu dinheiro para que ele ofereça rentabilidade e amplie seus recursos. 

É o que popularmente se chama de “fazer o dinheiro trabalhar para você“. Assim, você terá — além do dinheiro aplicado — os juros sobre essa quantia, que faz com que você tenha maior reserva de capital. 

5. Conte com a Cresol para saber mais sobre educação financeira

Todas as dicas que citamos anteriormente são válidas, ajudam e têm a ver com a aplicação prática da educação financeira. Tornar esse estilo de vida real, repensando e analisando as decisões sobre dinheiro, é uma mudança que traz tranquilidade a médio e longo prazo.

Para conferir cursos, materiais interativos e saber tudo sobre educação financeira de forma descomplicada, acesse o Cresol Instituto. Educar-se financeiramente permite que você esteja preparado para as incertezas de cenários econômicos, diminuindo esse impacto na sua vida e da sua família. 

Por aqui, nós estamos sempre de olho no que está acontecendo no mercado financeiro e trazendo tudo de forma prática para que você melhore sua vida e organize suas finanças

Dica: 12 filmes e séries para saber mais sobre o mercado financeiro

Continue acompanhando nosso blog, redes sociais e fique por dentro de tudo. 

Vem junto. Somos a Cresol!

Categorias: Comportamento , Educação Financeira