Educação Financeira

Fluxo de caixa: o que é e como fazer

Fluxo de caixa: o que é e como fazer
Tempo de Leitura: 5 minutos

Empreender é um sonho para muitas pessoas. Ter seu próprio negócio e criar um patrimônio é o plano da vida de muita gente, mesmo que trabalhe com carteira assinada. No entanto, nem todos sabem que, no Brasil, muitos negócios começam suas atividades e duram pouco. A taxa de falência das empresas tem crescido ano após ano e a pandemia amplificou ainda mais esse cenário.

São diversos os motivos que levam uma empresa a fechar as portas, mas um dos principais é a falta de conhecimento sobre como fazer a gestão financeira. 

Assim, ter mais informações e dados sobre como fazer um fluxo de caixa que leve seus negócios a um novo nível e garantam a sustentabilidade da sua empresa é essencial.  Continue a leitura e saiba mais sobre esse tema!

O que é fluxo de caixa?

Fluxo de caixa é uma ferramenta que tem como objetivo organizar as movimentações financeiras da empresa – de qualquer natureza – oferecendo uma visão ampla e concreta sobre a saúde das finanças do negócio. Há empresas que fazem o fluxo semanal e outras, mensal. 

É importante ter em mente que fazer o fluxo de caixa vai muito além de registrar entradas e saídas diárias. Ou seja: ele considera contas a pagar, contas a receber, aplicações, investimentos e todas as movimentações financeiras da empresa, olhando para este momento, mas também para períodos futuros. 

O controle de caixa, por sua vez, é uma forma mais pontual de ver as finanças do negócio, considerando o saldo atual em caixa. 

Dica: Entenda a importância do empreendedorismo feminino

Quais os benefícios de fazer o fluxo de caixa do seu negócio?

Não há como pensar em uma empresa lucrativa e sustentável se o fluxo de caixa não for feito. Afinal, por meio desse instrumento a organização sabe quando, como e onde deve fazer investimentos para seu crescimento.  

Para o gestor, ele é ideal porque permite ter uma visão estratégica do seu negócio, podendo planejar ajustes na precificação, sem ter a sensação de estar com “a corda no pescoço”. Além disso, auxilia na análise de qual os melhores (e os piores) períodos de desempenho nas vendas, tendo maior certeza sobre quando buscar capital de giro.

Outro benefício está em alinhar as ações de marketing da empresa, tendo clareza sobre os melhores momentos para fazer promoções e ofertas.  

Principais tipos de fluxo de caixa

Assim como os negócios não são iguais, tendo suas particularidades, o fluxo de caixa também possui diferentes modelos, que se adaptam a realidades diversas. Não é que um seja melhor que o outro: deve-se buscar o que faz sentido para a sua empresa.

Fluxo de caixa operacional

Este modelo é um dos mais conhecidos e utilizados no meio empresarial. Ele considera as movimentações essenciais para o funcionamento do negócio. É ideal para empresas novas e de pequeno porte, já que é mais simplificado. 

Fluxo de caixa projetado

Com o objetivo de olhar para o futuro, este modelo considera as movimentações financeiras que acontecerão, no sentido de preparar a empresa para novos cenários.

Fluxo de caixa direto

Quando a empresa opta por fazer esse modelo de fluxo de caixa, ela considera as operações de forma bruta. Assim, há a análise do Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do Exercício.

Dica: Saiba como formar um preço de venda alinhado com o lucro desejado

Fluxo de caixa indireto

A grande vantagem desse modelo está em ser possível analisar o caixa e o lucro, diferenciando-os. Para fazer esse fluxo de caixa, deve-se iniciar a partir da análise contábil. 

Fluxo de caixa para investimentos

Como o próprio nome já diz, quando a empresa utiliza este modelo, ela está buscando respostas sobre como investir as sobras dos resultados.

Fluxo de caixa livre

Aqui, o objetivo é mensurar a performance de resultado da empresa em um espaço de tempo. Assim, ela pode analisar se produzirá resultado suficiente para dar conta de suas despesas. 

Fluxo de caixa descontado

Este modelo é usado quando há a intenção de venda da empresa no sentido de definir seu valor para a transação. 

Dica: Guia do empreendedor: passo a passo para começar o próprio negócio

Como fazer um fluxo de caixa: passo a passo

Agora que você conhece os principais tipos de fluxo de caixa, é preciso saber os 9 principais passos para fazer o processo corretamente. 

1. Verificar o saldo em caixa inicial

É importante saber onde você está para saber para onde você vai. Por isso, antes de mais nada, tenha clareza sobre qual seu panorama financeiro atual. 

2. Faça um planejamento financeiro consistente

A partir do seu diagnóstico, desenvolva um planejamento de suas finanças com projeções reais de despesas, investimentos, entre outras movimentações.

3. Identifique as despesas e receitas

Esse é um dos princípios básicos de um bom fluxo de caixa: ter o registro de todas as transações, desde as menores, até as mais expressivas, no recebimento e no pagamento.

4. Crie categorias para as despesas e receitas

Agrupe as movimentações financeiras conforme suas afinidades para que, ao fazer o fluxo de caixa, você possa analisar onde os recursos de sua empresa estão sendo alocados.

Dica: Empreendedorismo e os meios de pagamento digitais

5. Separe as contas pessoais das contas da empresa

Este é um item básico: por menor que seja, sempre tenha separado suas despesas daquelas da empresa. Isso permite ter uma visão mais clara sobre a situação real do negócio.

6. Registre as entradas e saídas de caixa

O que faz um fluxo de caixa ser realmente bom é a riqueza de informações. Assim, qualquer movimentação precisa ser registrada para que não aconteça nenhum “furo”.

7. Evite pagar contas com atraso e inadimplência

Manter seus débitos em dia dá tranquilidade e garante a saúde financeira do seu negócio. Além disso, o controle fica sempre organizado, evitando que haja ruído na análise.

8. Faça compatibilidade com o banco

Sua instituição financeira é responsável por grande parte da movimentação financeira da empresa. Assim, quanto maior for a integração com ela, menor é o seu trabalho no fluxo de caixa.

9. Utilize sistemas e softwares específicos de organização financeira 

A tecnologia existe para facilitar e agilizar tarefas: existem diversas opções que auxiliam nesse processo. 

Dica: 7 dicas para impulsionar o seu negócio

Como analisar o fluxo de caixa?

Ao finalizar, uma outra tarefa precisa ser feita: é hora de fazer as análises dos dados e informações encontrados. Nessa investigação, é essencial que você observe movimentações atípicas, bem como o desempenho financeiro da empresa em determinados períodos que são chave para o seu negócio. 

Olhando além, o fluxo de caixa traz uma visão mais precisa sobre o que a empresa planejou e o que, de fato, alcançou. Assim, consegue fazer um alinhamento interno de como alçar voos maiores. 

Disciplina, constância e comprometimento são essenciais para fazer um fluxo de caixa bem sucedido. São muitos fatores que podem impactar nessa análise. Por isso, se achar necessário, conte com um especialista no assunto para dar o primeiro passo.

Aqui na Cresol, nós estamos sempre trabalhando para oferecer a você soluções financeiras que realmente facilitem seu dia a dia na empresa. Além disso, aqui no nosso blog, você encontra conteúdos, dicas e muitas informações práticas para aplicar no seu negócio e manter tudo organizado e funcionando.

Por isso, continue acompanhando nossos canais para ficar por dentro de tudo!

Categorias: Educação Financeira , Gestão