Crédito Rural

Crédito rural Cresol: alavanque o seu negócio com segurança

A agropecuária é uma atividade essencial para a economia nacional. Os produtos são exportados e também consumidos internamente, o que requer a aplicação de investimentos nas operações executadas e nas propriedades. É aí que entra o crédito rural Cresol!

Esse financiamento é voltado para cooperativas e produtores com a meta de aperfeiçoar os processos efetuados e, então, dar maior vantagem competitiva a eles. Além do mais, pode ser realizado para custear a comercialização dos produtos e a produção.

Devido à sua relevância no cenário brasileiro, este post vai contar os aspectos principais sobre o crédito agropecuário, denominado como crédito rural.

Explicaremos as vantagens do crédito, como alavancar o agronegócio por meio do sistema de financiamento Pronaf e como iniciar um financiamento. Confira!

Como funciona o crédito rural?

O agronegócio é um dos responsáveis pelo crescimento da economia brasileira. Para que os produtores tenham capacidade de expandir a sua produção e se adequar à modernização do campo, eles precisam ter acesso a um tipo de crédito mais barato e que se adapte às particularidades do campo.

Dica: Como funciona o Crédito Rural rápido e fácil da Cresol?

O crédito rural da Cresol é dividido em três modalidades: custeio, investimento e comercialização. Dessa forma, ele pode ser destinado para o processo produtivo, para a distribuição dos produtos agrícolas ou para introduzir novas tecnologias na lavoura, o que aumenta a sua competitividade.

Para que o arroz, o feijão e os outros alimentos cheguem na casa dos brasileiros com qualidade, as cooperativas de crédito prestam um serviço fundamental de inclusão dos produtores no sistema financeiro.

Além do crédito rural, o cliente pode abrir uma conta, pedir um cartão e contratar um seguro, entre outras opções.

Os produtores que têm renda anual bruta de até R$360 mil, com 50% ou mais oriundos da agropecuária, são enquadrados como agricultores familiares e, dessa maneira, têm acesso ao Pronaf. As linhas de crédito e as condições do contrato são mais vantajosas.

O que é Pronaf?

O Pronaf é o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Ele destina-se a estimular a geração de renda e melhorar o uso da mão de obra familiar, por meio dos serviços rurais agropecuários, financiamento de atividades em áreas comunitárias próximas ou não agropecuários, mas desenvolvidos em estabelecimento rural.

Dica: Como ser um produtor rural de sucesso?

Dessa forma, “a Cresol foi fundada, em 1996, o objetivo era ajudar um público que era excluído de outras instituições financeiras. Ou esse público não era bem atendido, ou não tinha preferência ou era até mesmo ignorado. O objetivo da cooperativa era fazer algo para esse público”, conforme pontuou a empresa.

“Desde então a empresa trabalha quase que exclusivamente com crédito rural. O grande diferencial é que a Cresol nasceu para ajudar o produtor rural. A empresa é especialista nisso. Ela pode não ser a maior do país, mas, onde ela atua, é referência”, afirmou a Cresol, diante do Pronaf.

Veja a lista de subprogramas que fazem parte do Pronaf:

  • Pronaf mulher;
  • Pronaf agroecologia;
  • Pronaf mais alimentos;
  • Pronaf agroindústria;
  • Pronaf microcrédito;
  • Pronaf eco;
  • Pronaf jovem;
  • Pronaf Cotas-Partes.

Quais as modalidades e finalidades?

Os financiamentos ao amparo da Linha de Crédito de Investimento para Agregação de Renda (Pronaf) têm como finalidades investimentos, inclusive em infraestrutura, que visam o beneficiamento, armazenagem, o processamento e a comercialização da produção agropecuária, de produtos florestais, do extrativismo, de produtos artesanais e da exploração de turismo rural, incluindo-se a:

  • fundação de pequenas e médias agroindústrias isoladas ou em maneira de rede;
  • implantação de unidades centrais de apoio gerencial, nos casos de projetos de agroindústrias em rede, para a prestação de serviços de controle de qualidade do processamento, de marketing, de aquisição, de distribuição e de comercialização da produção;
  • modernização, recuperação ou ampliação de entidades agroindustriais de beneficiários do Pronaf já instaladas e em funcionamento, inclusive de armazenagem;
  • obtenção de instrumentos e de programas de informática direcionados para otimização da gestão das unidades agroindustriais, por meio sugestão em projeto técnico;
  • capital de giro cooperado, limitado a 35% do financiamento para investimento;
  • integralização das cotas-partes relacionadas ao projeto a ser custeado;
  • projeto ou plano de investimento individual com previsão de utilização de parte do auxílio do financiamento para organizações de uso coletivo.

“Dentro do Pronaf, existem inúmeras linhas de crédito rural que podem ser oferecidas e muitas vezes o produtor nem sabe que essas possibilidades existem. Ele não sabe que pode financiar algo ou custear algo e acaba trabalhando apenas com recurso próprio”, pontua a cooperativa, o que explica a necessidade de melhorar a educação financeira dos produtores.

Quais as vantagens para o produtor rural?

Para aproveitar dos benefícios é necessário passar por uma avaliação, “após a análise que garante a capacidade de pagamento e a aprovação do projeto, a proposta é cadastrada, normalmente ao BNDES, seguindo as regras estabelecidas. Quando ela é autorizada, é feita a liberação para o cooperado“, explica a Cresol.

“O processo pode demorar de dias a algumas semanas, depende realmente da agilidade das partes envolvidas”, esclarece a cooperativa. A partir disso, o cooperado poderá usufruir de tais vantagens:

  • crescimento: o aumento da produtividade possibilita a constante melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares;
  • oportunidade: com o Pronaf, produtores rurais têm apoio financeiro para aquisição de unidades vinculadas à implementação, modernização ou ampliação da estrutura das operações de produção, serviços, transporte ou armazenagem na instituição rural ou em áreas comunitárias rurais próximas;
  • tranquilidade: limite de até 5 anos para motocicletas adaptadas à atividade rural e caminhonetes de carga e de até 10 anos para as outras ocorrências.

Dica: Agricultura familiar: saiba como inovar e expandir seu negócio

Como começar?

O acesso ao Pronaf inicia-se na discussão da família sobre a necessidade do crédito, seja ele para o custeio da atividade agroindustrial ou da safra, seja para o investimento em equipamentos, infraestrutura de produção, máquinas e serviços não agropecuários ou agropecuários.

“O primeiro passo é saber qual é o sonho dele. Se aquilo que ele quer financiar gerará um retorno financeiro e se é o melhor financiamento possível. Essa reflexão é importante para garantir que o crédito rural será usado para algo que realmente trará melhorias e vantagens para o produtor rural”, defende a empresa.

Após a decisão do que financiar, a família deve orientar-se pela empresa de Assistência Técnica, sindicato rural e pela Extensão Rural (Ater), como a Emater, para aquisição da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). 

Esse documento é expedido conforme as funções exploradas e a renda anual e guia o agricultor para as linhas específicas de crédito a que tem direito. Para os cooperados do crédito fundiário e da reforma agrária, o agricultor deve buscar o Incra ou a Unidade Técnica Estadual (UTE).

Dica: Conheça as linhas de crédito do Plano Safra 2019/2020

O requerente deve estar com o CPF regularizado e livre de dívidas. As condições de acesso ao Crédito Pronaf, taxas de juros correspondentes a cada linha e modos de pagamento são definidos, todo ano, pelo Plano Safra da Agricultura Familiar, divulgado entre os meses de junho e julho.

“O que alguns produtores não sabem é que o crédito rural Cresol atende tudo que o cooperado tem vontade de fazer na propriedade quando o assunto é produção. Ele pode ser usado para construir uma estrutura para guardar as máquinas, para comprar equipamento e para expansão de propriedade”, explica a cooperativa.

Como deve ser pago o crédito rural?

Quando o produtor recebe o dinheiro do crédito rural, ele assume uma dívida que deve ser paga no futuro próximo. Pelas regras, esse valor pode ser acertado em parcela única, mas a modalidade mais comum é o pagamento a prazo, quando é definido o número de parcelas para encerrar a pendência.

Dica: Qual a diferença entre economizar, poupar e investir dinheiro na propriedade rural?

Na vigência do contrato, o produtor deve respeitar o cronograma e fazer o pagamento das parcelas em dia. O prazo é definido em função da capacidade de pagamento, ou seja, o vencimento deve ter relação direta com os períodos em que o contratante recebe os rendimentos da sua atividade.

A Cresol tem diversas linhas de crédito, com prazo e limites definidos. O Pronaf Custeio, por exemplo, tem um teto de R$250 mil e pode ser pago em 7, 9 ou 11 meses, o que respeita o ciclo da safra. Os créditos de investimento tem períodos mais longos para pagar, porque o retorno da operação pode ser tardio.

Como funciona a fiscalização da instituição financeira?

O produtor que contrata o crédito rural está sujeito à fiscalização da instituição financeira. Esse mecanismo serve para garantir que o dinheiro emprestado seja utilizado na finalidade estipulada no acordo e avaliar a compatibilidade do empreendimento com o objeto do financiamento.

Essa fiscalização pode ser feita de três maneiras:

  • presencial: quando um agente é enviado para a lavoura para conferir de perto a situação;
  • documental: análise dos papéis entregados como comprovação;
  • remota: utilização de técnicas de sensoriamento remoto para acompanhar a propriedade.

A tecnologia se transformou em uma aliada nesse processo. Desde 1º de julho de 2018, as instituições podem utilizar drones e técnicas de sensoriamento remoto, como fotos de satélites, para controlar a aplicação dos recursos. Com essa mudança, o custo será mais baixo e a efetividade das ações aumentará.

Vale destacar que apenas os financiamentos superiores a R$800 mil são objetos de fiscalização individual obrigatória — anteriormente, os contratos acima de R$250 mil no Pronaf eram enquadrados. Porém, ao contratar o crédito rural Cresol, garanta o uso correto dos recursos dentro do projeto apresentado.

Qual a importância do Proagro?

O risco é um fator presente na produção rural. Mesmo com o avanço da meteorologia, é impossível adiantar com precisão as condições climáticas, então a força da natureza pode comprometer a safra e a vida financeira do agricultor. Por isso, o Proagro foi criado para mudar a situação.

O programa funciona como um seguro para o produtor rural, que permite que ele continue na atividade agropecuária depois das perdas na lavoura. Ele atua nas operações de crédito rural de custeio, com o pagamento de uma taxa extra (adicional) que pode chegar aos 6,5%.

Quando uma perda é detectada na produção, o responsável aciona o Proagro e, se o motivo estiver listado nas regras, ele não tem mais a obrigação de pagar as parcelas do crédito rural ou pode receber de volta o capital próprio investido. Assim, os seus prejuízos são minimizados e ele tem como participar da próxima safra.

Para os participantes do Pronaf, o governo criou o Proagro Mais, que tem condições mais atrativas. O adicional para lavouras irrigadas, por exemplo, é de 2% do valor do financiamento — esse número vai até em 6,5%, dependendo da cultura. Para garantir a cobertura, é necessário cumprir todas as especificações do contrato.

Quais as informações complementares sobre o crédito rural Cresol?

Contratar o crédito rural é a melhor forma de conseguir dinheiro para aumentar a produção ou investir em novos equipamentos para a lavoura.

A preservação do meio ambiente é prioridade, então melhorar a eficiência dos recursos se tornou uma necessidade para melhorar a qualidade dos alimentos e competir no mercado.

Dica: 6 dicas para aumentar a produtividade em sua produção rural

Para ter o acesso em poucos dias aos valores, é importante manter a documentação correta e apresentá-la à Cresol rapidamente. A assistência da cooperativa é importante para a formulação do projeto, que é uma obrigação do processo, e para a consultoria sobre valores e como aplicar corretamente os recursos.

Quando o crédito rural é bem utilizado, o produtor tem condições de melhorar a sua propriedade e expandir a produção, o que aumenta o seu faturamento. Para o agricultor familiar, o sistema Cresol também oferece outros serviços, como educação financeira e consultoria.

Na hora da contratação, é possível que alguns termos mais complicados apareçam e confundam a sua cabeça. Por isso, explicamos dois conceitos que têm relação com as operações de crédito. Confira!

  • Nota Promissória Rural: é um título de crédito, emitido por pessoa física (geralmente), utilizado nas vendas de bens a prazo, nos recebimentos da cooperativa e nas entregas de bens de consumo. 
  • Duplicata Rural: segue regras parecidas da nota promissória, mas é utilizado, em geral, por pessoas jurídicas. Quando o vendedor emite a Duplicata, ele remete ao comprador, que a devolve assinada.

Em resumo, o crédito rural Cresol tem levado tranquilidade e crescimento para os agricultores familiares, conforme as possibilidades do Pronaf.

Assim, muitas famílias têm mudado sua posição de empregada para empreendedora, o que faz com que esse setor permaneça como a alavanca da nossa economia brasileira. Com o acesso ao financiamento, as pessoas são capazes de realizar os seus sonhos e melhorar as suas lavouras.

E aí, o que você achou deste artigo? A Cresol Baser oferece o crédito rural e outros serviços financeiros para os seus cooperados. Compartilhe este post com seus amigos para juntos ajudarmos mais pessoas!

Categorias: Crédito Rural