Empréstimos

Empréstimo para produtor rural: custeio da safra

O crédito para o produtor rural é a especialidade da Cresol. A instituição conhece o grande potencial de crescimento da agricultura e está de olho nele, mas, ao mesmo tempo, sabe que o maquinário, os insumos e a matéria-prima disponíveis no mercado exigem uma contrapartida considerável do produtor. E nem sempre isso é tão fácil de ser colocado em prática.

Por isso, a Cresol colabora para mudar essa realidade. Então, caso o agricultor esteja precisando de dinheiro emprestado para financiar as despesas do ciclo produtivo ou para dar suporte ao custeio da safra, o sistema cooperativo da Cresol disponibiliza linhas de financiamento específicas para as propriedades de todos os tamanhos e situações. 

​Neste post vamos explicar tudo sobre o crédito para custeio da safra: como funciona, quais as vantagens, quais os tipos oferecidos no mercado e como deve ser a devolução. Acompanhe!

Quais as vantagens de usar o empréstimo para custear a safra?

produtor rural que se torna cooperado da Cresol vira também proprietário dela. Essa é a ideia do sistema Cresol como cooperativa: todos os seus cooperados integram a instituição como donos propriamente dito, e não apenas como meros clientes.

Mas essa é apenas uma das vantagens que o agricultor adquire ao se cooperar com a Cresol. Há alguns outros benefícios pessoais e financeiros que só a instituição oferece. Veja só!

Dica: Passo a passo: como se tornar um cooperado da Cresol?

Taxas de juros reduzidas

A cooperativa oferece uma das taxas de juros mais atrativas do mercado no que diz respeito às linhas de crédito. Muitas opções, por exemplo, não cobram tarifas por alguns dos serviços, como cadastro, fornecimento de talões e transferências, diferente do que ocorre com outras instituições bancárias.

Além disso, as taxas envolvendo a retirada de dinheiro também são sempre menores em relação às praticadas pelos bancos tradicionais.

Rendimentos superiores aos de mercado

Para o produtor que tem rendimentos guardados, a cooperativa oferece diversas possibilidades de aplicações e investimentos.

Um deles, por exemplo, permite o depósito a prazo, com juros mais atrativos em relação a muitos produtos oferecidos no mercado financeiro.

Atendimento personalizado

Como já mencionado, o cooperado é considerado um dos donos da cooperativa. Mas isso não está só no papel ou na teoria. Ao se tornar o dono do negócio, ele passa a ser atendido como tal, de fato.

Dica: A importância do plano de relacionamento com clientes para micro e pequenas empresas

Isso também proporciona a ele a garantia de negociar com uma organização que devolverá algumas parcelas que lhe dizem respeito sempre que houver sobras. Essa devolução, aliás, pode ser feita por meio de dinheiro ou, então, de integralização de cotas-partes, mas isso vai depender do que foi discutido e acertado previamente nas assembleias de sócios.

Recursos subsidiados de crédito rural, oriundos do Plano de Safra

Os recursos subsidiados de crédito rural são aqueles destinados para custear a produção agrícola. Portanto, se for esse o caso do produtor, as taxas de juros do empréstimo são fixadas anteriormente e podem variar, dependendo da linha de crédito escolhida.

Veja:

  • Pronaf Custeio: as taxas podem variar de 3% ao ano e 4,60% ao ano;
  • Pronamp Custeio: as taxas são de 6% ao ano;
  • Custeio para grandes produtores: as taxas são de 8% ao ano.

Quais são as opções de empréstimo para produtor rural que estão disponíveis hoje?

Os empréstimos disponibilizados ao produtor rural têm um propósito bem relevante e que extrapolam a propriedade rural a qual é destinado: é uma forma do governo ajudar a agricultura e a produção rural a se desenvolverem no país e a alcançar resultados mais satisfatórios para a renda do agricultor e para a mesa do consumidor. Por isso, é feito por meio da disponibilização de crédito.

Para o produtor também há vantagens. Afinal, ele consegue contar com dinheiro disponível para investir na sua produção ou na sua propriedade, dando um passo importante que muitas vezes falta para avançar e alcançar melhores resultados.

Além disso, esse empréstimo pode ser feito da maneira mais adequada à realidade em que ele se encontra — com limites, melhores taxas, cobertura de despesas, prazos e vantagens que são previamente adaptados às suas necessidades.

Dica: 5 vantagens de empréstimos de cooperativas em comparação com bancos

Veja, então, as principais linhas de crédito rural que a Cresol disponibiliza hoje!

Seguro Rural e PROAGRO

Todas as operações de custeio da Cresol contam com o seguro rural ou com o seguro agrícola — PROAGRO, que tem por objetivo exonerar o beneficiário do cumprimento das obrigações financeiras em operações do crédito rural de custeio.

Isso faz diferença nos casos em que houver perda de receitas em consequência de intempéries climáticas, como orienta o capítulo 16 do Manual do Crédito Rural (MCR).

Crédito custeio

O crédito custeio, quando solicitado, deve ser destinado para cobrir despesas normais do ciclo produtivo agrícola, como é o caso da aquisição de fertilizantes, insumos, defensivos e sementes. Ele também pode ser utilizado na atividade pecuária e na cobertura dos gastos com animais, como a compra de vacinas, medicamentos e rações, por exemplo.

Dica: Como planejar a nova safra

Além disso, também existe a possibilidade de enquadrar no custeio pecuário as operações destinadas à manutenção de atividades de apicultura, avicultura, piscicultura, sericultura, aquicultura e pesca artesanal.

Custeio antecipado

O produtor rural também tem a possibilidade de obter crédito antes de dar início ao próprio plantio. Com o custeio antecipado é possível cobrir as despesas da produção agrícola e adquirir insumos, fertilizantes, defensivos e sementes, por exemplo, sem tirar dinheiro do bolso.

Além disso, ao adquirir tais insumos antecipadamente, o produtor rural também consegue ter acesso a melhores preços e condições.

Dentro dessa linha de crédito é possível custear diversas culturas.

Pronaf Custeio para cooperativas

O Pronaf Custeio para cooperativas nada mais é do que uma linha de crédito voltada exclusivamente para cooperativas de crédito, de produção ou agroindústria que atuam com os participantes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Assim, os cooperados que se empenham às tarefas agrícolas com metas econômicas podem conseguir insumos (como fertilizantes e sementes) e efetuar tratos culturais para realizar a colheita. Já o custeio pecuário destina-se a cobrir despesas normais dos ciclos produtivos, como:

  • aquisição de vacinas e medicamentos;
  • ração e suplementos;
  • minerais.

Pronamp Custeio

O Pronamp Custeio permite o financiamento de itens destinados a despesas normais do ciclo produtivo de lavouras periódicas, da entressafra e de lavouras permanentes ou da extração de produtos vegetais espontâneos ou cultivados.

Nas operações destinadas a custeio pecuário admite-se financiar aquisição de animais para recria e engorda, quando se tratar de empreendimento conduzido por produtor independente, aquisição de insumos. Há também aqueles destinados às despesas normais da exploração pecuária, enquadrando as atividades destinadas a apicultura, avicultura, piscicultura, sericultura, aquicultura e pesca artesanal.

Os prazos também são diferenciados quando se tratar de operações de Pronamp Custeio. Para saber mais, entre em contato com a Cresol para conhecê-los.

Quais documentos são necessários para a concessão do empréstimo?

O crédito rural pode ser obtido por agricultores cadastrados como pessoas físicas ou jurídicas, desde que sejam produtores rurais, de fato.

Aliás, é preciso comprovar essa condição. Além disso, também é preciso apresentar uma comprovação da renda, a matrícula da propriedade, o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o comprovante de pagamento do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) e do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR).

Não é obrigatório, no entanto, ser proprietário das terras ou do imóvel que utiliza. Posseiros, arrendatários, comodatários, parceiros, assentados ou permissionários também podem solicitar empréstimo, desde que o dinheiro seja direcionado para o desenvolvimento do negócio.

Dica: De olho no campo: tudo sobre a agricultura familiar no Brasil

Além disso, se o empréstimo for destinado para culturas irrigadas, o produtor rural poderá apresentar a chamada Outorga da Água, como forma de comprovar que exerce a atividade de maneira regular e dentro das normas ambientais.

Para quem se enquadra no Pronaf, há mais um requisito: também é necessário apresentar a chamada Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) em situação ativa, que pode ser obtida nos sindicatos que atuam no segmento rural. Tal documento é obrigatório para que o produtor consiga dar entrada à solicitação via Pronaf. 

Já os produtores enquadrados no Pronamp, além de comprovar a renda, ainda devem ter propriedade rural ou, então, algum contrato de arrendamento.

O que o produtor rural deve fazer para conseguir o empréstimo?

O produtor rural interessado em obter um empréstimo deve procurar a Cresol mais próxima com a documentação básica a ser apresentada. No entanto, dependendo do caso, a cooperativa ainda pode solicitar outros documentos para complementar o pedido de financiamento.

Isso é necessário para que ela siga as normas de um protocolo-padrão que deve ser preenchido como forma de liberar ou não os créditos. Com base nesse protocolo, a instituição analisa, por exemplo:

  • a idoneidade do produtor e a possibilidade dele não estar envolvido em nenhuma atividade ilícita;
  • o projeto, o orçamento ou o plano relacionado ao custeio a ser feito na produção;
  • a capacidade financeira e a capacidade técnica de realizar tudo o que está sendo planejado;
  • o calendário para usar o dinheiro;
  • o respeito às normas e restrições do zoneamento agroecológico e do zoneamento ecológico-econômico.

Esses critérios a serem analisados pela cooperativa demonstram que os produtores rurais devem ser cuidadosos com o pedido de empréstimo. Quanto mais preparado ele estiver, mais altas serão as chances de receber o montante pretendido para aumentar a renda e a produtividade da produção rural.

Como o empréstimo deve ser pago depois de usado?

O empréstimo obtido pelo produtor rural com a Cresol pode ser devolvido posteriormente de uma vez só, com prazo de até 60 dias após a colheita para Pronaf e de até 90 dias após a colheita para os demais produtores. 

Em geral, o prazo e o cronograma de reembolso são estabelecidos levando em conta a capacidade de pagamento do agricultor e o contexto do cultivo e do produto agrícola que ele produz. Ou seja: os vencimentos devem coincidir com as épocas normais de obtenção dos rendimentos por meio da atividade agrícola para que ele não seja surpreendido com prejuízos, ou, então, com períodos que não esteja faturando.

Conclusão

agricultura familiar brasileira é oitava maior produtora de alimentos do mundo, segundo um levantamento feito pelo governo federal. O setor também é responsável por alcançar um faturamento de US$ 55,2 bilhões por ano. E não é só: a agricultura familiar também é a base da economia de 90% dos municípios brasileiros que possuem até 20 mil habitantes e responde pela renda de 40% da população economicamente ativa do país.

Esse é o tamanho da agricultura familiar brasileira, uma gigante da economia do país. E é por isso que o Sistema Cresol acredita na força que vem do campo e opta por investir diretamente nela, fazendo isso por meio da disponibilidade de linhas de crédito exclusivas para a realidade local.

Essa categoria de crédito é voltada, inclusive, para atender as necessidades de produtores rurais inseridos nos mais variados contextos, sejam eles pequenos, médios, agricultores familiares, agricultores de médio porte e micro e pequenos empresários. Juntos, são eles que formam a base da agricultura brasileira e a torna tão reconhecida no mundo.

Dica: Conheça o portal oficial do Crédito Rural da Cresol

O crédito rural do Sistema Cresol procura fortalecer a economia que vem do campo. E faz isso por meio do incentivo ao uso de métodos racionais de produção e por meio do aumento da produtividade, da adequada defesa do solo, do estímulo à geração de renda e da melhoria de vida das comunidades rurais.

Dentro desse cenário, o empréstimo para produtor rural é a alternativa mais adequada para os cooperados buscarem o desenvolvimento e minimizarem os riscos inerentes da atividade. Para isso, o sistema Cresol está preparado para um excelente atendimento e as melhores condições aos cooperados.

Gostou do artigo? O texto conseguiu minimizar as suas dúvidas a respeito de empréstimo rural? Então compartilhe ele com seus amigos nas redes sociais!

Categorias: Empréstimos