Seguros

Contratar seguros vale a pena?

Contratar seguros vale a pena?
Tempo de Leitura: 3 minutos

Por mais que façamos planos, na verdade nunca sabemos como será o dia de amanhã. É por esse motivo que muita gente resolve contratar seguros. Trata-se de uma alternativa para garantir amparo financeiro em situações inesperadas, como um acidente ou um desastre natural.

Só que esse tipo de produto ainda enfrenta alguns mitos. Muitos consumidores acham caro demais, enquanto outros pensam que é dinheiro jogado fora. Será mesmo? Fique conosco para entender melhor como funciona um seguro. Veja, também, quais cuidados tomar na hora de contratá-lo.

Como funcionam os seguros?

O funcionamento do seguro é bem simples: você paga uma mensalidade à seguradora para ter direito ao serviço. Em caso de sinistro, como são chamados os eventos inesperados, a empresa assume as despesas de conserto ou fornece uma indenização. 

Por exemplo, bateu o carro? Um seguro para o veículo vai cobrir os danos. Já um seguro de vida pode render um bom dinheiro aos seus filhos, caso você venha a falecer e eles fiquem financeiramente desamparados.

Vale destacar que, às vezes, é necessário pagar a chamada franquia para ter direito ao prêmio. Essa taxa funciona como uma espécie de coparticipação nos gastos. Quanto maior o valor que você desembolsar, proporcionalmente mais alta será a quantia fornecida pela seguradora.

Outro ponto importante de conhecer na hora de contratar seguros é a cobertura. Isso porque o cliente pode optar por um pacote mais simples ou mais completo, dependendo de suas demandas pessoais.

Na dúvida, leia atentamente a apólice antes de assinar o contrato. Ela é o documento no qual constam todas as situações em que o serviço poderá ser acionado.

Quais são os tipos de seguros que existem?

É possível contratar seguros de tudo quanto é natureza. Se você tem um bem precioso, que merece ser protegido, certamente haverá uma apólice para resguardá-lo. Alguns dos produtos mais comuns são:

Seguro de vida

Esse seguro garante uma compensação financeira em caso de morte ou invalidez permanente do segurado. O dinheiro é destinado aos beneficiários da pessoa – cônjuge ou filhos, na maioria das vezes. Também pode haver serviços adicionais na apólice, como o auxílio funeral, que banca despesas relativas a velório e enterro.

Seguro patrimonial

O patrimônio material pode sofrer toda sorte de danos, como incêndio, vandalismo e roubo, entre outros. É para atenuar prejuízos desse tipo que existe o seguro patrimonial. Ele ainda pode cobrir serviços de manutenção. Dessa forma, dá para evitar gastos inesperados com encanador, eletricista ou outros profissionais.

Seguro de automóvel

O seguro do carro protege contra roubo, furto ou danos materiais diversos. Além disso, pode cobrir despesas médicas de terceiros relativas a um acidente. No caso, se você atropelar e machucar alguém, a seguradora deverá custear a internação, bem como todo o tratamento da vítima.

Seguro contra acidentes pessoais

Esse é outro tipo de seguro importante, em especial para clientes que viajam muito. A apólice cobre todas as despesas médicas decorrentes de um acidente, pelo menos durante um período específico de vida. Se houver morte ou invalidez permanente, é possível obter uma quantia indenizatória, tanto para o segurado quanto para seus beneficiários.

Ainda vale a pena contratar seguros?

Existe uma crença de que seguro é coisa de gente rica. Porém, o contrário está mais próximo da verdade. Quem tem grana sobrando não precisa se preocupar com imprevistos, pois consegue sacar os recursos necessários para pagar o conserto do carro ou uma despesa médica.

Já quem vive com os gastos na ponta do lápis deve fazer as contas. Será que sua reserva de emergência é suficiente para pagar um tratamento médico? Ou dar entrada num imóvel novo, se sua casa pegar fogo? Ou mesmo custear o funeral de um ente querido?

E mais: se você recorrer a esse fundo, quantos anos levará até repor o dinheiro gasto? Essas são perguntas que precisam ser respondidas. Lembre-se de que todo mundo está sujeito ao imponderável, então é preciso ter alternativas para não comprometer a saúde financeira.

Portanto, contratar seguros é uma estratégia para se proteger de gastos inesperados. E ela pode ser bem barata.

Há seguros de vida no mercado a partir de R$ 9 por mês. Segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o segmento registrou uma alta de 11,3% em 2020, em relação ao ano anterior.

Muitas contratações vieram de jovens entre 18 e 30 anos. Desempregados e sem benefícios previdenciários, em razão da pandemia de Covid-19, eles viram nesse serviço um meio de assegurar assistência para doenças graves, internação, incapacidade temporária ou eventuais cirurgias.

Dicas para contratar seguros

Agora que você sabe um pouco mais sobre seguros, aqui vão algumas dicas para acertar na contratação:

  • Verifique se a apólice cobre todas as suas necessidades;
  • Informe-se sobre valores da franquia e do prêmio (indenização);
  • Pesquise sobre a reputação da seguradora;
  • Esteja de acordo com todas as cláusulas do contrato;
  • Organize-se para pagar as mensalidades em dia.

Gostou? Esperamos que o conteúdo de hoje tenha sido útil. Aproveite para continuar de olho no blog da Cresol, que em breve traremos mais informações sobre investimentos e finanças pessoais. Até lá!

Categorias: Seguros , Soluções Financeiras