Educação Financeira

6 erros de quem quer poupar dinheiro e como evitá-los

O desejo de poupar dinheiro é compartilhado por milhares de brasileiros que buscam equilibrar as finanças, ter uma reserva para o futuro, fazer investimentos e alcançar uma maior estabilidade financeira para si e para a família.

Porém, há alguns erros que você comete e afetam diretamente os seus planos de economizar para concretizar os seus objetivos. Neste texto, você vai conhecer quais são eles e o principal: como evitá-los. Acompanhe!

1. Não traçar metas para poupar dinheiro

O primeiro deles é não ter metas para poupar dinheiro, guardando apenas o que sobrou depois de gastar, pagar contas e comprar coisas novas ao longo do mês inteiro.

Ao fazer isso, você não cria o hábito de economizar, não consegue manter um valor fixo para a sua reserva financeira e, consequentemente, demora muito mais para alcançar os seus objetivos. Isso sem contar que as chances de se desmotivar ao longo do caminho são grandes.

Dica: Entenda a importância e como rever seus hábitos financeiros neste novo ano

Portanto, é preciso parar, sentar e avaliar a sua renda líquida para definir um percentual — entre 10% a 25%, dependendo de quão folgado esteja o seu orçamento — que será poupado tão logo os seus vencimentos caiam na sua conta. Assim, não há perigo de gastar esse valor ou usá-lo para outros fins.

Seja qual for o seu sonho, a Cresol pode ajudar. Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo!

2. Não saber quais são os seus gastos

Um segundo equívoco é não saber quais são as suas despesas mensais. Afinal, se você não tem controle sobre com o que gasta e como está empregando o próprio orçamento, dificilmente terá a capacidade de traçar metas de economia e levá-las adiante. Logo, é importante rever essa postura e adotar uma maior organização na sua rotina.

Para tanto, crie uma planilha de gastos e passe a anotar religiosamente todas as suas movimentações financeiras, os respectivos valores delas e a qual segmento elas estão ligadas. Abaixo, exemplificamos. Veja:

  • lazer: programas, passeios, viagens etc;
  • saúde: plano médico, plano odontológico, exames, remédios etc;
  • habitação: aluguel, gás, água, internet, taxa condominial etc;
  • educação: colégio, escola de idiomas, faculdade, intercâmbio etc.

Dessa maneira, será possível acompanhar a evolução das suas despesas, determinar com que aspecto da sua vida há maiores custos e evitar, inclusive, atraso nas contas que possam gerar futuras dores de cabeça.

3. Tentar cortar todas as despesas de uma vez só

Você acabou de identificar para onde está indo o seu dinheiro e percebeu, por exemplo, que o lazer é a sua principal fonte de despesas. Por conta disso, decide tomar uma providência para economizar e poder poupar mais. Qual a primeira coisa que você faz?

Se você disse cortar todos os gastos que tem em relação a ele, saiba que a resposta está errada. Embora a intenção seja boa, a execução dessa ideia não é a mais apropriada. Isso porque o radicalismo pode, em um primeiro momento, até surtir o efeito desejado.

No entanto, bastará algumas semanas para você notar que ele trará prejuízos à sua qualidade de vida e à sua saúde mental, já que você deixará de ter programas para relaxar, curtir e aproveitar com os filhos, os amigos, os parentes etc.

Dica: Tudo o que você precisa saber para planejar uma viagem em família

Portanto, o ideal nessa situação é avaliar quais despesas de lazer são desnecessárias, quais são repetidas e quais podem ser substituídas por alternativas mais econômicas. A partir daí é só fazer um planejamento e colocar essas medidas em prática.

4. Deixar todo o dinheiro na conta-corrente

Um quarto erro bastante comum é manter o seu dinheiro na conta-corrente, incluindo aquele que está sendo poupado com tanto esforço. A razão disso é bem simples: com esse valor sempre disponível e facilmente acessível, aumenta a tentação de gastá-lo e a falsa certeza de que depois você repõe ele.

O problema é que isso se torna um hábito e quando você se dá conta tudo o que economizou já foi embora. Por isso, o melhor é separá-lo, seja guardando-o na poupança, seja investindo-o para que renda e aumente as suas reservas.

Dica: Como investir dinheiro: guia para iniciantes

5. Usar o cartão de crédito sem controle

Além do que já citamos, saiba que o uso sem critério do cartão de crédito também pode se tornar um grande problema para quem quer poupar dinheiro. Afinal, muita gente o utiliza para compras pequenas do dia a dia devido ao preço irrisório delas — de R$ 10,00, R$ 20,00 ou R$ 30,00, por exemplo — e esquece que na fatura elas serão cobradas de forma unificada no final do mês.

Dica: 7 dicas para usar o cartão de crédito com inteligência

Isso sem mencionar, é claro, aqueles que fazem diversas aquisições e sempre parcelam o valor delas sem levar em conta as prestações que já estão em aberto. Como resultado, essa conta pode pesar no bolso e, caso não seja paga em dia, gerar uma dívida com encargos que não param de crescer que desestabilizará o seu orçamento e impedirá o cumprimento das suas metas estabelecidas lá no início.

Por isso, é de suma importância aumentar o autocontrole em relação ao cartão de crédito. Como? Mantendo apenas um exemplar e reservando-o apenas para casos de real necessidade. No lugar, opte por sempre fazer compras à vista.

6. Gastar dinheiro toda vez que sai de casa

Para concluir, não poderia faltar um equívoco presente na rotina de muitas pessoas e que está intrinsecamente relacionado aos dois últimos erros que abordamos: o hábito de gastar toda vez que sai de casa.

Para se ter ideia, há quem não possa fazer um passeio no shopping que inevitavelmente acaba adquirindo algo que viu na vitrine de uma loja. Por conta disso, poupar dinheiro se torna uma tarefa inviável e as chances de adquirir dívidas aumentam consideravelmente. Nesses casos, é crucial lidar com os impulsos e se tornar resistente a eles.

Para isso, você pode se valer de algumas artimanhas ao sair de casa, como não levar nenhum cartão de crédito ou de loja, só andar com uma quantia necessária para locomoção e alimentação, desabilitar da sua conta-corrente a função de saque sem cartão em caixas automáticos etc.

Como você viu, há erros simples — e por vezes banais — que podem dificultar e atrasar o seu plano de poupar dinheiro. Porém, com organização, autocontrole e medidas preventivas é possível não só evitá-los, como garantir que seja, sim, possível criar uma reserva financeira sólida e contínua.

Gostou deste post? Então compartilhe com seus amigos para juntos ajudarmos mais pessoas!

Categorias: Educação Financeira