Comportamento

Esporte e cooperação: união que dá jogo

Esporte e cooperação: união que dá jogo
Tempo de Leitura: 3 minutos

Demorou um pouco por causa da pandemia, mas finalmente os Jogos Olímpicos de Tóquio vão começar. E sabe por que estamos falando disso? Porque esporte e cooperação têm tudo a ver.

Esporte e cooperação: qual é a relação entre eles?

Pense numa partida de futebol, por exemplo. O time só vence a disputa quando há esforço coletivo. Claro que alguns craques sempre se destacam, mas eles não conseguem fazer tudo sozinhos.

Cada um tem sua posição dentro de campo – o goleiro, o lateral, o atacante… Um jogador precisa saber a hora certa de dominar a bola, mas também quando passar a vez ao companheiro. É assim, com um atleta apoiando o outro, que a equipe faz gol e atinge o resultado esperado.

Porém, até mesmo nas modalidades individuais o esporte e a cooperação se relacionam. Basta lembrar que, por trás de um campeão na ginástica ou na natação, existem treinadores, nutricionistas, fisioterapeutas e todo um grupo de profissionais atuando juntos para quebrar o recorde. Ou seja: quem sobe ao pódio representa muita gente.

Esse é o grande ponto de convergência entre as atividades esportivas e o cooperativismo. Assim como acontece nos ginásios e nos estádios, o sucesso dos cooperados depende do senso de coletividade.

Além disso, tem a transformação social. Um dos sete princípios do movimento cooperativista é o interesse pela comunidade, certo? Isso significa desenvolver políticas que tragam bem-estar e melhorem a realidade socioeconômica das pessoas ao nosso redor. Pois tal objetivo, muitas vezes, se realiza a partir do esporte.

Projetos nessa área ajudam milhares de jovens em situação de vulnerabilidade. Os encontros não só transmitem lições de disciplina e companheirismo, como também oferecem novas perspectivas a quem tinha um futuro incerto. Destacar-se na dança, no atletismo ou nas quadras pode ser uma saída para crianças e adolescentes desfavorecidos conquistarem uma vida mais digna.

O esporte como instrumento de diplomacia

Saindo das comunidades e indo para um cenário mais amplo, você já ouviu falar na Trégua Olímpica? Quando os jogos ocorriam na Grécia Antiga, era comum que conflitos entre povos fossem interrompidos para todos os participantes terem a chance de celebrar com tranquilidade.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) resgatou essa prática na década de 1990. Desde então, cabe à Organização das Nações Unidas (ONU) fazer um chamado aos países do mundo para que baixem as armas durante a competição esportiva. No último dia 15 de julho, o secretário-geral da ONU, António Guterres, cumpriu a tradição.

Trata-se de um pedido simbólico, e que não necessariamente cessa confrontos. Inclusive, vale ressaltar que algumas edições das Olimpíadas modernas chegaram a ser canceladas devido às Grandes Guerras Mundiais. Ainda assim, a busca pela trégua revela um ideal de cooperação entre os povos do planeta através do esporte.

Isso faz parte de uma filosofia conhecida como Olimpismo. Ela prega os princípios da amizade, da compreensão mútua, da igualdade e do jogo limpo (fair play). Tais ideais são possíveis quando há, sobretudo, paz entre as pessoas, independentemente das diferenças religiosas, culturais ou econômicas. Em paralelo, também é necessário respeitar as regras – algo que serve tanto para as arenas esportivas quanto para a vida.

O cooperativismo segue valores semelhantes. No nosso movimento, todo indivíduo que deseje se voluntariar numa organização cooperativa pode fazê-lo. Aqui não há discriminação por gênero, etnia, idade, estrato social, filiação política ou confissão religiosa. Todo mundo é livre para participar das assembleias e colaborar nas tomadas de decisão, contanto que esteja de acordo com as determinações do estatuto social.

Resumindo, esporte e cooperação traduzem um sonho maior: a busca por uma sociedade mais justa a todos nós.

Cresol: cooperativismo a serviço da saúde e do bem-estar

A Cresol acredita no esporte como um importante instrumento de cooperação. Por isso, temos orgulho de incentivar iniciativas nessa área.

Nós já patrocinamos eventos como o Beltrão Open, competição de futevôlei e vôlei de praia ocorrida em Francisco Beltrão/PR, onde fica nossa sede nacional. Também já associamos a marca da organização à Liga Nacional de Futsal e a atletas das mais diversas modalidades, incluindo MMA, corrida de caminhões e badminton paralímpico.

O investimento financeiro no esporte é uma das formas de demonstrar nosso compromisso com a saúde e o bem-estar das pessoas. Assim, o princípio cooperativista de interesse pela comunidade ganha ações concretas, que geram impacto a todos à nossa volta.

E você, como se relaciona com o esporte? Está se preparando para acompanhar as transmissões dos Jogos Olímpicos? A cerimônia de abertura é na próxima sexta-feira (23), às 8h, mas algumas partidas já estão acontecendo.

A Cresol deseja boa sorte a todos os competidores, em especial à delegação brasileira, que representa a garra e a determinação do nosso povo. Mesmo com a tensão que a pandemia de Covid-19 ainda impõe, esperamos que os jogos de Tóquio rendam momentos de muita emoção ao planeta inteiro.

Gostou do artigo de hoje? Então continue acompanhando nosso blog para mais novidades sobre cooperativismo. Até breve!

Categorias: Comportamento