Comportamento

6 maneiras de ajudar o comércio local

6 maneiras de ajudar o comércio local
Tempo de Leitura: 4 minutos

A pandemia de Covid-19 atingiu em cheio os pequenos negócios. Com as medidas de distanciamento social, que incluíram a interrupção de atividades econômicas, representantes do comércio local viram o faturamento despencar.

Muitas vezes falta capital de giro e estrutura para manter a empresa em pé durante o período instável. Porém, com a sua ajuda, os empreendedores podem enxergar o sol além da tempestade. Continue conosco para saber como agir.

A importância de apoiar o comércio local

Vale lembrar que as micro e pequenas empresas têm um impacto significativo para a economia do Brasil. São mais de 17 milhões de pequenos negócios no país, que juntos respondem por 30% do PIB (Produto Interno Bruto, a soma dos bens e serviços produzidos em um ano). Eles também geram 55% dos empregos formais no setor privado, segundo o Sebrae.

Mas não se trata apenas de números. Estamos falando de comunidades que prosperam juntas. A existência de um mercadinho de bairro, uma ferragem ou um salão de beleza ali na esquina garante trabalho e renda para os moradores da região. Assim todo mundo tem meios de consumir, acumular riqueza e atingir um nível confortável de vida.

Dicas para ajudar a estimular o comércio local

Em resumo, apoiar o comércio local significa preservar o desenvolvimento de sua cidade. E isso pode ser feito de diversas maneiras. Confira nossas sugestões:

1. Descubra novos negócios

Você conhece todos os estabelecimentos no seu entorno? Costuma frequentá-los com assiduidade?

Talvez seja hora de dar uma nova chance ao comércio em sua vizinhança. Experimente o bolo de uma confeitaria próxima. Corte o cabelo na barbearia ao lado. Vá àquele restaurante que abriu faz algum tempo, mas que você ainda não visitou.

Às vezes ficamos tão acostumados a nossos hábitos de consumo que nos esquecemos de abrir espaço para as novidades. Desse jeito não percebemos as inúmeras possibilidades ao nosso redor

Portanto, preste atenção! Pode ser que você encontre produtos incríveis e atendimento de qualidade aí mesmo na sua rua.

2. Peça delivery

Entendemos que muita gente prefere ficar em casa. Afinal, o distanciamento é uma das maiores ferramentas para evitar o contágio pelo coronavírus.

Ainda assim, você pode contribuir com o pequeno negócio. Vários empreendimentos recorreram às vendas por WhatsApp e à tele entrega para continuar operando durante a pandemia.

Se antes era comum pedir apenas pizza por telefone, hoje você já pode fazer compras na farmácia, no bazar e no mercado usando o aparelho. Essa é uma estratégia segura para ajudar o comércio local sem se expor ao vírus. Fora que receber as encomendas por delivery, na porta de casa, é uma mordomia enorme, você não acha?

Dica: Entenda a importância do empreendedorismo feminino

3. Dê apoio nas redes sociais

Se a grana está curta, não tem problema. Você pode demonstrar seu apoio de outras formas.

Comece seguindo as lojas da região nas redes sociais. Curta os posts, comente e compartilhe, pois esse engajamento melhora a visibilidade da marca na web e faz o conteúdo chegar a mais pessoas.

Vale ainda avaliar os serviços em plataformas como o Google e o Facebook. O simples ato de dar cinco estrelinhas melhora o ranqueamento da página. Quando novos consumidores chegarem até ela, o feedback positivo do público causará uma ótima impressão. Assim aumentam as chances de a empresa conquistar mais clientela.

4. Compre cupons para utilizar depois

E o que acontece com agências de turismo, casas noturnas e outros lugares que não podem funcionar nem no sistema de delivery? Nesses casos, alguns estabelecimentos vêm oferecendo cupons (ou vouchers).

A ideia consiste em antecipar o pagamento de um serviço para você usufruir no futuro. Pode ser um pacote de viagem, uma quantia para consumir no bar e por aí vai.

Essa espécie de empréstimo permite ao pequeno negócio manter em dia a conta de luz, o aluguel e outras despesas fixas. Daqui a algum tempo, quando a situação melhorar, você poderá realizar festas e aglomerações nesses ambientes. E isso ajudará muito a fomentar o comércio local.

Dica: Cooperativismo de crédito: 5 impactos positivos para a sociedade

5. Colabore com os autônomos

Lembre-se dos prestadores de serviço que foram prejudicados com a pandemia. Muitos deles só faturam quando realizam a atividade presencialmente. Ou seja: cada dia de isolamento social significa menos dinheiro entrando na conta deles.

Personal trainers e professores particulares até podem conduzir aulas on-line. Mas e o jardineiro ou a auxiliar de limpeza, como ficam?

Cogite a possibilidade de pagar a diária, mesmo que não seja possível contratar o profissional de imediato. Essa pequena contribuição pode garantir a sobrevivência de famílias inteiras.

Dica: 8 hábitos sustentáveis que ajudam o planeta e economizam dinheiro

6. Capriche na gorjeta

Por fim, destacamos que os empreendedores e colaboradores do comércio local estão enfrentando muitos desafios. Além de adaptar o negócio às circunstâncias adversas, eles precisam se expor ao risco para fornecer produtos e serviços aos consumidores. 

Pense bem. Enquanto você permanece em casa, os motoboys circulam pela rua para entregar a mercadoria na sua porta. Por mais que eles usem máscara e higienizem as mãos, o perigo de contágio é maior para essa categoria.

Que tal dar uma gorjeta bem gorda ao entregador? Funciona, no mínimo, como uma retribuição pelo esforço. E ajuda o comércio local.

O artigo de hoje faz sentido para você? Então compartilhe estas dicas com seus amigos, familiares e vizinhos! Juntos, podemos ajudar os pequenos negócios e estimular o comércio local, o que faz a comunidade inteira prosperar. Continue acompanhando o blog da Cresol para mais dicas.

Categorias: Comportamento