Cooperativismo

Cooperativismo e empreendedorismo têm tudo a ver

Cooperativismo e empreendedorismo têm tudo a ver
Tempo de Leitura: 3 minutos

Se preferir, ouça a narração deste artigo:

Quem abre o próprio negócio enfrenta muitos desafios. É preciso planejamento, dedicação e até um empurrãozinho financeiro para o projeto dar certo. Nessas horas, a ajuda de pessoas experientes pode facilitar o caminho. E é por isso que nós, da Cresol, enxergamos uma forte relação entre cooperativismo e empreendedorismo. 

Continue conosco para entender por quê.

O que empreendedorismo tem a ver com cooperativismo?

Para darmos início à reflexão, primeiro devemos relembrar o que é o cooperativismo. Em linhas gerais, estamos falando da união de pessoas em torno de um objetivo comum. Elas podem se juntar para fazer negócio, ou então para obter melhores condições de crédito, por exemplo.

As sociedades cooperativas se caracterizam pela participação econômica dos membros. Cada cooperado precisa adquirir uma ou mais cotas-partes, um valor em dinheiro para garantir a sustentabilidade financeira das operações. Por outro lado, nos anos de superávit, as sobras do exercício costumam ser repartidas entre todo mundo. Ou seja: o sucesso da organização significa prosperidade coletiva.

Fora isso, tem a gestão democrática. Os participantes são donos da cooperativa, de modo que decidem, juntos, quais serão os rumos do negócio e onde o capital será aplicado. Dessa forma, a destinação dos recursos atende aos interesses gerais.

Essas características mostram que o cooperativismo funciona como uma espécie de empreendedorismo coletivo. Afinal, a dinâmica é parecida. Em ambos os casos, é necessário tomar decisões administrativas, além de investir tempo e dinheiro para obter retorno.

A diferença está na capacidade de conquistar metas mais ambiciosas. Com a ajuda mútua dos cooperados, fica mais fácil para cada pessoa custear os equipamentos de sua loja, encontrar linhas de financiamento ou mesmo solicitar empréstimo para cobrir eventuais prejuízos

É aquele empurrãozinho financeiro tão bem-vindo aos pequenos empreendedores, mas tão difícil de conseguir por conta própria.

Dica: Saiba como fazer parte de uma cooperativa

Como o cooperativismo incentiva o empreendedorismo?

Obviamente, não se trata apenas de dinheiro. Participar de uma cooperativa também proporciona novos horizontes. Os membros aprendem sobre gestão do negócio, trocam experiências e crescem como indivíduos. Em resumo, tornam-se pessoas melhores e mais capacitadas para encarar as demandas do mercado.

Abaixo, listamos algumas das vantagens que o cooperativismo traz aos empreendedores. A lista ainda poderia continuar um bocado, mas acreditamos que os itens a seguir já sintetizam bem a ideia. Confira:

– Capacitação profissional a partir de cursos e palestras;

– Auxílio para gerir as questões tributárias e administrativas do próprio negócio;

– Condições facilitadas para a compra ou o aluguel de equipamentos;

– Mais poder de negociação junto aos fornecedores;

– Possibilidade de aplicar preços mais competitivos aos produtos e serviços;

– Menos risco para empreender, já que há uma rede de proteção capaz de aliviar prejuízos;

– Nas cooperativas financeiras, empréstimo e financiamento a juros mais baixos.

Dito de outra maneira, o cooperativismo torna o empreendedorismo menos solitário. É claro que cada pessoa tem seus interesses particulares. Porém, quando todas se unem em torno do mesmo propósito, elas encontram uma força que não teriam individualmente

Essa força pode superar qualquer obstáculo com muito mais facilidade.

Leia também: Entenda a importância do empreendedorismo feminino

Números do cooperativismo no Brasil

Para você entender o impacto das cooperativas na economia do Brasil, vale a pena recuperar informações do Anuário do Cooperativismo. Segundo a edição mais recente do relatório, existem 4.868 organizações do gênero em atividade no país. Detalhe: mais da metade delas tem pelo menos 20 anos de atuação.

Tamanha longevidade demonstra como o modelo de negócio do cooperativismo dá certo. Em contraste, o anuário aponta que 47% das empresas brasileiras não sobrevivem após o quinto ano – quadro que pode se reverter caso mais empreendedores unam forças.

Outro indicador importante é o número de cooperados: 17,1 milhões. Para completar, o sistema é responsável por 455.095 empregos diretos – um aumento de 6% em relação ao ano anterior do levantamento, mesmo num cenário de instabilidade econômica e pandemia.

Esses dados mostram por que empreendedorismo e cooperativismo devem andar lado a lado. A união fomenta empregos, gera renda e traz mais prosperidade às comunidades de todas as regiões do país.

Dica: Os impactos do cooperativismo de crédito no Brasil

Como a Cresol pode ajudar o seu negócio

Gostou de entender um pouco mais sobre cooperativismo? Pois chegou a hora de conhecer as soluções da Cresol para o seu empreendimento.

Nossos cooperados têm acesso a linhas de crédito, seguros e investimentos para fazer o patrimônio crescer. Também disponibilizamos diversas facilidades, como conta corrente, cartão corporativo e máquina de cartão para você vender mais em seu estabelecimento.

Vamos crescer juntos? Acesse o site da Cresol e descubra todas as vantagens em associar-se. Aproveite, ainda, para ler mais dicas de educação financeira e gestão de negócios aqui no blog. Voltaremos com novidades em breve. Até a próxima!

Categorias: Cooperativismo , Empreendedorismo