Comportamento

Tudo o que você precisa saber para planejar uma viagem em família

Está com vontade de conhecer novos lugares com a sua família, mas não sabe como planejar a viagem? Alguns passos são importantes para conseguir aproveitar melhor essa experiência e não comprometer o orçamento familiar.

A principal delas é começar essa organização com antecedência para aproveitar melhor as condições que as empresas oferecem.

Quer saber melhor como fazer esse planejamento? Confira o nosso guia sobre a viagem em família e crie o roteiro dos seus sonhos!

1. Comece a planejar a viagem em família

Organizar a viagem de férias da sua família não é uma tarefa simples. Além de todo o planejamento financeiro, é necessário encontrar um destino que agrade a todos os gostos. Por isso, um dos primeiros passos é se reunir com todos para buscar lugares que tenham opções de lazer para as diferentes idades.

Recomenda-se que o planejamento comece alguns meses antes da data da viagem. Dessa forma, é possível encontrar promoções de passagens de avião e de ônibus, além de encontrar descontos nos hotéis e em pacotes turísticos. Isso também garante um tempo maior de pesquisa sobre a cultura local.

Dica: Crédito pessoal: tudo o que você precisa saber antes de contratar

As viagens menores, que duram somente um fim de semana ou feriado prolongado, são mais simples, mas os preços podem ser mais altos em alta temporada. Algumas pessoas optam por não reservar nada para encontrar promoções nos lugares, mas essa não é uma boa estratégia para um passeio em família.

Depois de realizar as reservas básicas, os próximos passos são procurar os documentos e as vacinas necessárias para o lugar. Não é somente em viagens internacionais que a proteção contra a febre amarela é recomendada — destinos com a Floresta Amazônica pedem vacinas contra a hepatite também.

2. Faça um planejamento financeiro

Um bom planejamento financeiro evita que você passe apertos durante a viagem e que tenha dívidas nos meses seguintes. Essa é uma tarefa fundamental para quem deseja viajar com a família, já que essa análise financeira determinará quais destinos você têm condições de ir e o quanto precisa juntar para pagar tudo.

É importante economizar nos meses anteriores para ter uma flexibilidade maior na viagem. Encontre espaços no orçamento e evite gastos supérfluos. O cofrinho é um aliado: junte as moedas que sobram do troco e guarde para usar no destino. Por causa do rendimento, a poupança é uma opção interessante para utilizar.

Existe a possibilidade de contratar crédito para pagar a viagem e encontrar preços melhores à vista. O crédito pessoal é interessante, já que, ao contrário do financiamento, não é obrigatório declarar a sua finalidade. Porém, lembre-se de confirmar que as parcelas cabem no seu orçamento para não contrair dívidas indesejadas.

Como a maioria das empresas possibilita o parcelamento das compras, principalmente as passagens aéreas, planeje para fazer o pagamento nos meses seguintes. Se você viajará com carro próprio, guarde dinheiro para a gasolina e para os pedágios, que representarão um custo elevado no seu orçamento.

3. Defina o orçamento da viagem

Assim como você faz com as suas contas mensais, também é necessário definir um orçamento para a sua viagem. Isso significa realizar um controle de gastos para saber o quanto você tem disponível para gastar com passagem, hotel, passeios e compras. Com ele, você será capaz de encontrar as melhores oportunidades nos meses anteriores para economizar nos custos fixos.

O orçamento deve ser diário e abarcar todos os gastos da viagem. Os principais são com alimentação, já que as pousadas e hotéis, normalmente, oferecem apenas café da manhã. Outro ponto importante é deixar um valor separado para o transporte local (moedas e notas menores). Algumas cidades oferecem cartões pré-pago para andar de metrô e ônibus.

Dica: 4 despesas que você precisa pagar no fim do ano e como se organizar para elas

Como não é possível definir 100% dos gastos com antecedência, é importante deixar uma quantia extra como reserva de emergência. Se a viagem for internacional, esse dinheiro pode ficar disponível no cartão de crédito para uso eventual. Em caso de troca de moeda, o cliente perde dinheiro com a conversão, então não é recomendado levar uma quantia maior.

Pesquisar as melhores opções de hospedagem, transporte e alimentação é essencial. Existe a possibilidade de garantir uma viagem mais econômica com um bom planejamento e estudo sobre o local. No caso da viagem em família, deixe um valor específico para gastar com os filhos, como alimentos rápidos na rua ou brinquedos.

4. Escolha o destino ideal

Se a sua família tem filhos, é natural que vocês só consigam fazer uma viagem mais longa em épocas de férias escolares (julho e janeiro), quando os destinos principais estão em época de alta temporada e recebem muitos turistas. Por isso, o planejamento é fundamental para encontrar o local certo para os passeios.

Para destinos mais curtos, é possível passar alguns dias nos feriados, o que abre a possibilidade de conhecer locais mais badalados com mais tranquilidade. De qualquer forma, em caso de viagens internacionais, é fundamental reservar alguns dias para aproveitar, até por conta do tempo mais longo de deslocamento.

O principal é que o destino se encaixe no orçamento. Não é necessário percorrer longas distâncias e gastar muito dinheiro para se divertir. No Brasil, algumas cidades são ótimas e têm opções para toda a família sem os custos de uma viagem para a Orlando, por exemplo, que demandam um maior planejamento financeiro.

Dica: Como avaliar se uma taxa de juros é atrativa?

Destinos nacionais

No Brasil, os destinos se dividem em locais de calor (no litoral) ou lugares com clima mais frio (interior e algumas capitais). O Nordeste é uma excelente opção, como Maceió e Fortaleza, onde você encontra opções de praia e parques para toda a família. O Rio de Janeiro também é muito visitado por quem procura belezas naturais.

Para quem quer um lugar de campo, São Lourenço (MG) e Campos do Jordão (SP) são ótimas opções. A cidade de Curitiba também tem parques e pontos turísticos, como o Jardim Botânico e o Museu Oscar Niemeyer, que agradam a todos os gostos. Vale destacar que os mais aventureiros podem visitar lugares de trilha, como a Chapada dos Veadeiros (GO).

Destinos internacionais

Fora do país, Orlando é o lugar mais procurado, por conta da Disney. É uma viagem que vale a pena por todas as opções de entretenimento para adultos e crianças, mas demanda um investimento mais alto e também um tempo maior para conhecer tudo. Por isso, se esse é o sonho da sua família, comece a planejar as economias para realizá-lo.

Para curtir as férias de julho com um investimento um pouco menor, o Chile e a Argentina são boas opções. Nas regiões de Bariloche e do Valle Nevado, é possível ver neve e aprender a esquiar, algo impossível no Brasil. É o tipo de passeio que agrada às crianças e adolescentes de todas as idades.

5. Leve em consideração a diversão da família toda

O planejamento da viagem deve considerar atividades que todos possam participar. Se ela for realizada apenas em casal, não há problema com o roteiro, já que ele pode ser decidido em conjunto. Porém, no caso de crianças, é preciso se atentar que algumas atrações podem não ser indicadas para elas, como passeios mais longos ou exigentes fisicamente.

Assim, o destino deve ser decidido com base nessas características. Lugares com opções de diversão para crianças, como parques, são ótimos para garantir entretenimento para toda a família. Em passeios em contato com a natureza, não se esqueça de levar uma mochila com itens básicos para os seus filhos.

Se a viagem for realizada com muitas pessoas, existe a possibilidade de separar as atividades para agradar todo mundo. Enquanto as crianças podem aproveitar os passeios diurnos e as áreas de lazer do hotel, o casal pode aproveitar a noite ou conhecer lugares como museus, o que nem todas as crianças gostam.

Dica: Conheça as vantagens e facilidades de ser um agricultor familiar

Em viagens com filhos pequenos, alguns cuidados extras são necessários. Para roteiros de avião, é importante procurar horários em que as crianças estejam mais calmas. Além de evitar barulhos e bagunça indesejada, isso também diminui as chances de dores de cabeça e outros problemas com elas.

Uma dica é levar roupas extras na bagagem de mão para imprevistos. Outro ponto é buscar maneiras de entretê-las, já que elas ficam entediadas facilmente sentadas em um banco. Nesse ponto, a tecnologia é uma aliada importante — jogos e vídeos tomam a atenção das crianças.

Nas viagens de carro, evite percorrer longos trechos sem pausas. Programe paradas no meio do caminho, seja para a alimentação ou mesmo para esticar as pernas e descansar. Assim como no avião, é importante buscar maneiras de prender a atenção dos filhos para não atrapalhar a concentração do motorista.

6. Faça um roteiro da viagem

Assim como o planejamento financeiro, montar um roteiro de viagem alguns meses antes é importante para diminuir os custos. O primeiro passo é definir o objetivo do passeio: você deseja conhecer neve ou novas praias? Quer visitar um parque conhecido ou museus e novas culturas?

Definir o tipo de viagem e os lugares que você deseja conhecer impacta em todos os pontos — inclusive nas passagens e nas hospedagens. Por isso, é fundamental criar uma lista com as opções de lugares e, depois que o destino for definido, escrever o roteiro de todos os dias para buscar as melhores opções de hotel e agendar os passeios.

Algumas adaptações são necessárias para quem viaja com idosos ou com filhos pequenos. Por exemplo, no caso dos bebês, é preciso andar com uma bolsa com fraldas e roupas extras, o que é um peso maior para os pais. É interessante que os destinos tenham uma boa estrutura e lugares para descansar e realizar essas trocas.

A forma de locomoção também impacta no roteiro. Se você pretende viajar de avião e alugar um carro no local, programe as paradas para não deixar ninguém cansado. Não se esqueça que, se a viagem for internacional, é necessário tirar a Permissão Internacional para Dirigir (PID).

7. Prepare a documentação necessária

Alguns documentos são de porte obrigatório, independentemente da viagem. É o caso do Registro Geral (RG) e do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), que geralmente estão no mesmo documento, a carteira de identidade. Além de confirmar os dados pessoais, eles são pedidos pelas companhias aéreas, férreas ou rodoviárias e pelos hotéis.

Para as crianças, é obrigatório o porte da certidão de nascimento ou da carteira de identidade — o responsável deve comprovar o grau de parentesco com a documentação. Se a criança for menor de 12 anos e não estiver viajando com os pais, uma autorização com assinatura deles é obrigatória.

7.1 Passaporte

Se a viagem for internacional, o passaporte é obrigatório. A sua emissão é realizada pela Polícia Federal e leva alguns dias. Portanto, se você ainda não tem o seu ou não renovou o último, é necessário se programar para tirá-lo com antecedência e não passar por problemas.

Alguns destinos não pedem o passaporte no processo de entrada. É o caso dos países do Mercosul (Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) e da América Latina, por conta e acordos internacionais (Bolívia, Peru, Chile, Colômbia e Equador). Uma dica é que a foto seja recente para evitar problemas.

7.2 Visto

Além do passaporte, alguns países obrigam a apresentação do visto, emitido pelas embaixadas ou consulados como uma permissão de entrada. Existem diferentes tipos desse documento, desde a permanência temporária (de 90 dias, para fins turísticos) até o visto de trabalho. Será necessário apresentar alguns documentos para conseguir essa permissão.

É importante conferir se o país de destino pede a apresentação do visto e agilizar esse processo com antecedência. O mais conhecido deles são os Estados Unidos, mas outros lugares também pedem. É o caso de Japão, Canadá, Austrália, Coreia do Norte, entre outros.

7.3 Vacinação

Para garantir que você está protegido de doenças transmissíveis, alguns países pedem a apresentação de um certificado, conhecido como CIVP, que confirma a sua vacinação. Atualmente, a febre amarela chama a atenção por conta dos seus casos e lugares como Bolívia, Paraguai e Colômbia tornaram obrigatória essa documentação.

No Brasil, é importante se vacinar antes de visitar lugares de floresta, como a Amazônia. A de febre amarela é distribuída gratuitamente nos postos de saúde, assim como as de hepatite A e B. Para proteger da malária, que tem vacinação planejada para ser lançada em breve, utilizar o repelente é o mais recomendado.

8. Cuide da saúde

Ter problemas de saúde longe de casa pode ser um problema, mas alguns cuidados básicos diminuem essa possibilidade. Levar uma bolsinha com remédios para dor de cabeça, febre e enjoo é recomendado, já que alguns lugares mais remotos não têm tantas farmácias à disposição.

No caso de viagens internacionais, alguns destinos não vendem remédios com tanta facilidade (pode ser necessária uma receita para comprimidos simples, por exemplo). Dessa forma, é importante levar tudo do Brasil para não passar aperto. Em caso de remédios de uso contínuo ou antibióticos, leve quantidade suficiente e sempre acompanhados da receita.

Uma opção para quem deseja ainda mais segurança é contratar um seguro-saúde, o que pode ser importante para quem têm filhos pequenos. Fora do país, alguns hospitais são muito caros, como nos Estados Unidos e na Europa. No Brasil, conheça anteriormente a localização dos hospitais e farmácias — é melhor garantir uma assistência rápida.

Na hora de montar a mala, não deixe de pesquisar as condições climáticas do lugar para levar roupas e acessórios adequados. Não é indicado levar mais coisas do que o necessário, já que a mala pode ficar pesada demais, mas se os passeios incluírem trilhas ou caminhadas, leve sapatos fechados e casacos em caso de altitude.

9. Reserve tudo antecipadamente

Muitas mochileiros preferem não deixar nada reservado, já que podem conseguir preços mais baixos diretamente no local da viagem. Porém, para ter um passeio mais tranquilo e organizado com a família, é ideal antecipar tudo o que for possível, o que garante um planejamento financeiro e a oportunidade de buscar promoções.

9.1 Passagens

Se a viagem não for feita de carro, é importante garantir a compra de todas as passagens com antecedência. Isso inclui os roteiros de ônibus, já que em períodos de alta temporada, feriados ou fins de semana as rodoviárias ficam cheias. No caso das companhias aéreas, existem descontos alguns meses antes da data que podem ser aproveitados.

Dica: 9 razões para trocar de carro agora!

Outra comodidade da compra antecipada é poder marcar os assentos, o que garante que toda a família viaje nos melhores assentos. Caso o roteiro tenha mais de um destino, também é necessário garantir essas passagens dentro dos locais, com a possibilidade de se planejar financeiramente para os custos da viagem.

9.2 Hotel

Dependendo do tamanho da sua família, podem ser necessárias mais de um quarto de hotel para acomodar todo mundo. Um dos benefícios de reservar com frequência é ter uma lista maior de opções e com um preço mais baixo. Deixar para pegar o hotel na hora não é recomendado para quem busca uma viagem mais tranquila.

O ideal é reservar a acomodação logo após a compra das passagens. Se a sua viagem for feita de carro próprio, monte o roteiro antes para decidir em qual bairro ou cidade é melhor para se hospedar. Algumas comodidades, como o check-in antecipado e o café da manhã incluso, podem ser consultados no momento da reserva.

Uma decisão importante é sobre as áreas de lazer. Se os seus filhos forem pequenos, é interessante buscar hotéis que tenham espaços de brinquedos ou piscinas mais rasas, destinadas às crianças. Com um bom planejamento, é possível pesquisar várias vezes os preços e encontrar aquele mais vantajoso.

9.3 Passeios

Vai para um lugar em alta temporada e não quer correr o risco de não conhecer as atrações turísticas? A maioria das empresas, principalmente nas grandes cidades do Brasil e do mundo, oferecem a possibilidade de agendar com antecedência e antecipar o pagamento, além de evitar as filas de bilheteria e entrada.

Em caso de cidades menores ou de passeios na natureza, por exemplo, é importante saber se os guias turísticos são obrigatórios. Geralmente, a Prefeitura desses lugares oferece profissionais para acompanhar os viajantes, mas você pode optar por contratar um pacote com uma companhia especializada.

10. Faça um checklist para não esquecer de nada

Depois de ter tudo planejado, não deixe de criar uma lista para confirmar se está tudo certo. Nesse processo, alguns pontos podem ser esquecidos, principalmente aqueles mais importantes, como documentos, dinheiro e reservas. Faça uma lista com todas as coisas necessárias e confirme as decisões.

Na hora de fazer a mala, a temperatura do local pode fazer a diferença. Por isso, é recomendado pesquisar a previsão do tempo para os dias em que você estará lá, a fim de saber qual tipo de roupa deve levar. De qualquer forma, alguns itens, como um casaco, trajes de banho e chinelos são obrigatórios (por garantia).

Se a viagem for realizada de avião, não se esqueça de fazer o check-in pelo site da companhia aérea. Esse serviço é disponibilizado com 48 horas de antecedência do horário do voo e evita filas no aeroporto. Além disso, é importante conferir se o local de destino tem alguma regra específica para o que é levado na bagagem.

Em caso de viagens internacionais, confira tudo o que o seguro-viagem cobre para evitar problemas fora do país. Uma outra recomendação é tirar uma cópia dos passaportes e dos vistos (se necessários) e plastificá-los. Assim, você pode andar com eles na rua e deixar os originais no cofre, o que diminui a chance de perdas.

Por fim, confirme se os cartões de crédito estão desbloqueados para uso internacional ou se têm um limite suficiente para os seus gastos no local, o que vale também para viagens nacionais. Assim, você não precisa andar com uma grande quantidade de dinheiro em espécie e pode fazer um controle de gastos melhor.

Com organização, é possível ter momentos memoráveis com a família sem gastar muito dinheiro. Tirar algumas horas para pesquisar e planejar viagem nos meses anteriores aumenta a possibilidade de encontrar promoções e pacotes atrativos para visitar novos lugares. É a chance de aproveitar e viver novas experiências sem comprometer as suas finanças.

Este texto te ajudou? Então compartilhe ele com seus amigos nas redes sociais para podermos ajudar mais pessoas!

Categorias: Comportamento