Educação Financeira

Consumo consciente: o que é, qual é a importância e como praticar

Consumidora consciente
Tempo de Leitura: 4 minutos

Tudo que fazemos gera impacto no mundo. Portanto, em tempos de pandemia, mudanças climáticas e inflação disparada, nossas ações devem ser pensadas com ainda mais seriedade para não sofrermos consequências desagradáveis. É disso que trata o consumo consciente, hábito cada vez mais difundido na sociedade.

Hoje vamos explicar esse conceito. Fique conosco para entender a importância das boas escolhas e aprenda, também, como consumir melhor.

Você sabe o que é consumo consciente?

Consumo consciente tem a ver com um olhar global. Em vez de pensar apenas na compra do produto, você observa toda a cadeia produtiva, da extração da matéria-prima ao descarte.

Isso significa dar prioridade a marcas que mantenham métodos sustentáveis de produção. Ainda, é importante gerar menos lixo e destinar os próprios resíduos à reciclagem.

Mas não se trata apenas de meio ambiente. Em paralelo a isso, consumir com consciência é saber por que você está adquirindo aquele item. Ou seja: comprar menos por impulso e mais pela necessidade. Essa mudança de comportamento, além de fazer bem para o planeta, protege o seu bolso.

Qual é a importância do consumo consciente?

Podemos pensar no consumo sustentável, como também é chamado, a partir de três frentes: ecológica, econômica e social. Observe:

Redução do impacto ambiental

Quando você compra de fabricantes responsáveis, colabora para diminuir a pegada de carbono no planeta. Em outras palavras, essas empresas se preocupam em reduzir a emissão de poluentes, encontrar fontes renováveis de energia e utilizar materiais recicláveis nas embalagens.

Todas essas atitudes são importantes para frear o uso de recursos naturais, evitando alterações bruscas nos ecossistemas. Vale lembrar que é justamente a ação humana uma das grande causadoras das mudanças climáticas que ameaçam a vida no mundo.

Economia financeira

Consumo consciente está ligado à moderação. Ao comprar somente o que precisa, sem exageros, você acaba gastando menos. Assim, sobra dinheiro para poupar ou investir.

Mas claro que nem sempre a opção mais barata é a melhor. Às vezes vale a pena gastar um pouco mais num item de qualidade, pois você sabe que aquilo vai durar bastante tempo. No longo prazo, essa também é uma maneira de economizar recursos financeiros e ambientais, já que não haverá descartes com tanta frequência.

Consciência social

Pensando no preço final da mercadoria, outra questão que surge é o custo de produção. Por exemplo, se uma blusa sai por dez reais na loja, qual será o pagamento para a pessoa que costurou a peça? Afinal, existem diversos atravessadores no meio do caminho, como revendedora e transportadora, então deve sobrar muito pouco lá na ponta da cadeira produtiva.

Por isso, o público consumidor deve se preocupar com as condições de trabalho de quem faz os produtos. Se todo mundo receber um valor digno pelo que produz, a sociedade se tornará mais próspera.

Passo a passo para um consumo consciente

Bem, agora que já falamos sobre a relevância do consumo sustentável, falta partir para a ação, não é mesmo? Abaixo, listamos sete passos para você ter mais consciência tanto na hora das compras quanto durante o uso do que consome. Vamos lá?

1. Corte os supérfluos

Primeiro, tente diminuir a quantidade de roupas no seu armário ou de produtos na sua despensa. Antes de ir às compras, pergunte-se: eu preciso desse item? As coisas que eu tenho em casa já não são suficientes para suprir minha necessidade? Tenho condições de pagar?

A ideia, aqui, é controlar as aquisições por impulso. O planeta e seu saldo bancário agradecem.

2. Doe o que não quer mais

Sabe aquele casaco que não serve mais? Ou o brinquedo que seu filho deixou atirado num canto desde o ano passado? Tudo que estiver sobrando em sua residência pode fazer falta para outras famílias. Sendo assim, passe adiante.

No entanto, fica o alerta: doação não é descarte. Certifique-se de que as peças estejam inteiras, ainda em bom estado de uso.

3. Prefira produtos reutilizáveis

Verifique se as embalagens descartáveis dos produtos são recicláveis. Dessa forma, o lixo que você gera pode dar origem a novos itens no futuro.

Outra dica é, em vez de comprar comida em recipientes plásticos, preferir aquilo que vem em latas ou garrafas de vidro. Esses materiais podem ser reaproveitados em casa mesmo – viram vasos de plantas, porta-trecos ou o que a imaginação deixar.

4. Separe o lixo

Mas não adianta a embalagem ser reciclável. Ela também tem que chegar ao destino certo após o descarte.

Para isso, separe o lixo orgânico (restos de comida) do lixo seco (papéis, latas e plásticos em geral). Já alguns itens específicos devem ser levados a pontos de coleta – é o caso de lâmpadas velhas, baterias usadas, óleo de cozinha e eletrônicos.

5. Evite o desperdício de alimentos

A indústria alimentícia consome muitos recursos para você ter comida na mesa. Em respeito a esse impacto, tome cuidado para aproveitar os alimentos ao máximo.

Caso sobrem carne ou vegetais na geladeira, congele-os para incorporá-los posteriormente a outros pratos. Além disso, é legal pesquisar receitas que usem todas as partes das hortaliças, como folhas e talos.

6. Utilize o transporte público

Andar de ônibus ou metrô também é uma forma de exercer o consumo consciente. Isso porque, quando os passageiros recorrem ao transporte coletivo, vários carros deixam de circular nas ruas, reduzindo a quantidade de gases poluentes na atmosfera.

Sem contar que o preço da passagem costuma sair bem mais em conta, se comparado ao valor que você gasta com o combustível do automóvel.

7. Poupe água e energia

Por fim, lembre-se daqueles pequenos cuidados para economizar nas contas do lar: feche a torneira ao escovar os dentes, apague a luz quando sair de um cômodo, tente tomar banhos mais curtos… Essas medidas não só colaboram para você equilibrar as finanças, como ainda poupam recursos naturais usados na geração de energia.

Leia mais: 4 dicas para economizar nas contas de casa

E então, dá para pôr essas sugestões em prática? Esperamos que o artigo de hoje incentive você a buscar hábitos mais conscientes de consumo. Cada pessoa fazendo sua parte, todo mundo sai ganhando.

Aliás, aproveite que chegou até aqui e confira outros artigos do site. Temos várias novidades para ensinar você a lidar melhor com seu dinheiro. Boa leitura!

Categorias: Educação Financeira