Cooperativismo

CODA: entenda a relação entre o filme vencedor do Oscar e o cooperativismo

CODA: entenda a relação entre o filme vencedor do Oscar e o cooperativismo
Tempo de Leitura: 3 minutos

Gestão, economia, empreendedorismo, sustentabilidade, negócios. Todos esses assuntos têm a ver com cooperativismo e se você se interessa pelo tema, certamente já ouviu falar sobre eles por aí. Mas, e cinema? Você acha possível que exista uma relação entre a sétima arte e o cooperativismo?

Neste artigo, vamos apresentar um filme que aborda o cooperativismo de uma forma bastante interessante. Saiba mais sobre o Coda: No Ritmo do Coração, o grande vencedor do Oscar 2022, e veja por que vale a pena colocá-lo na sua lista para assistir.

CODA: No Ritmo do Coração

filme coda

O filme, que conquistou os três troféus para os quais foi indicado no Oscar, inclusive o de melhor filme — prêmio mais cobiçado da noite — retrata a vida de uma família de deficientes auditivos, sob a perspectiva de Ruby, jovem que é a única ouvinte da casa.

Enquanto lida com as responsabilidades que têm na família — ela trabalha com o pai e atua como intérprete de todos —, Ruby precisa lidar com questões típicas da adolescência, relacionadas ao seu amadurecimento e à sua identidade, como a escolha da carreira e a sua paixão pela música.

O que mais chama atenção no filme, consenso entre os grandes críticos do cinema, é a sensibilidade com a qual temas delicados são abordados ao longo da trama. O roteiro aborda o preconceito contra deficientes, dramas familiares e os desafios de quem não se sente incluído em um determinado grupo — por ser a única ouvinte da família, Ruby, muitas vezes, é quem ocupa esse papel.

O nome, CODA, refere-se à sigla para Children of Deaf Adults (filhos de adultos surdos), que são crianças ou adultos que têm pais com deficiência auditiva e que, naturalmente, estão expostos a dois universos: o mundo dos ouvintes e o mundo dos surdos. Essas pessoas, inclusive, são consideradas bilíngues, já que transitam nesses dois universos, aprendendo a língua desses dois ambientes distintos.

Dica: Diversidade e inclusão social: vamos falar sobre isso?

Trazendo realidade para a ficção

O prêmio de melhor filme concedido pela academia de cinema não foi ganho por acaso. A diretora Sian Heder quis dar ainda mais singularidade para a história retratada no filme francês A Família Bélier, que serviu de base para CODA, e contratou colaboradores e atores surdos para darem vida à história.

E ela foi além. Entrevistou diversas crianças filhas de pais surdos, aprendeu a língua de sinais e passou a frequentar uma companhia teatral que faz peças com atores surdos — onde, inclusive, conheceu Troy Kotsur, que dá vida a Frank (pai de Ruby), personagem que lhe garantiu o prêmio de melhor ator coadjuvante no Oscar 2022.

Esse mesmo processo intenso também foi vivido por Emilia Jones. A atriz que dá vida à Ruby aprendeu a língua de sinais em poucos meses antes do início das gravações, teve aulas de canto e aprendeu a operar um barco pesqueiro, atividade que exerce junto com o pai na trama. E é exatamente do trabalho de Ruby e Frank que nasce a relação entre CODA e o cooperativismo.

Dica: O que é cooperativismo: entenda esse modelo de negócio

Afinal, o que o filme CODA tem a ver com cooperativismo?

A história retrata a vida de dezenas de famílias que lutam pela sobrevivência vendendo seus peixes em um sistema de leilão. A família de Ruby, no entanto, se indigna com o sistema capitalista exploratório e decide criar uma cooperativa de pescadores, para que cada um possa vender seus peixes diretamente, sem intermediários.

A iniciativa mostra a força de uma classe de profissionais que decidem atuar juntos. Essa, inclusive, é a realidade encontrada em diversas regiões do Brasil, que contam com cooperativas que promovem impacto social, transformam a vida da comunidade em questão e multiplicam os ganhos entre quem efetivamente trabalhou para obtê-los: os cooperados.

Além disso, o filme também retrata a importância das comunidades nas quais pessoas com deficiência estão inseridas e o processo de inclusão social. Comunidade, como sabemos, é um pilar importante para qualquer cooperativa, que atua para promover desenvolvimento social e progresso para seus membros.

Desenvolvimento social, inclusive, é algo que marca a atuação da Cresol, sistema cooperativo que nasceu em 1995 com o objetivo de ser e fazer a diferença e hoje se destaca como uma das principais cooperativas de crédito do Brasil. O nosso trabalho é focado no atendimento personalizado e na oferta de soluções financeiras que visam gerar desenvolvimento dos cooperados, de seus empreendimentos e de toda comunidade.

O filme CODA mostra, exatamente, o poder e a força das comunidades que atuam de forma cooperativa e é por isso — além de todas as outras reflexões importantes que o filme promove — que vale a pena investir um tempo de lazer para assistir ao vencedor do Oscar.

Assista ao trailer legendado do filme CODA:

Se você gostou deste conteúdo, te convidamos a continuar acompanhando o blog da Cresol e a nos seguir nas nossas redes sociais. Diversos conteúdos como esse podem ser encontrados por lá! Vem junto!

Categorias: Cooperativismo , Dicas