Comportamento

Reforma tributária do Imposto de Renda: entenda os impactos

Reforma tributária do Imposto de Renda: entenda os impactos
Tempo de Leitura: 4 minutos

Se preferir, ouça a narração deste artigo:

Uma das obrigações anuais dos brasileiros, que costuma dar um pouco de dor de cabeça para quem não está acostumado, é a declaração de Imposto de Renda. Apesar de cumprir com esse dever, muitas pessoas não sabem exatamente o que é e para que serve este imposto. 

Assim, é muito importante que possamos compreender, de fato, a função que o popular IR cumpre em nossas vidas e como ele impacta na economia do país. Afinal de contas, se a economia é composta pela contribuição de cada um de nós, é nosso dever saber como estamos atuando e como fazemos a diferença.

Este ano, o Governo Federal propôs mudanças que prevêem a reestruturação do Imposto de Renda, que alteram não somente a declaração em si, mas a arrecadação e muito mais. 

Continue lendo este conteúdo e compreenda melhor o que é o Imposto de Renda e os impactos que a Reforma tributária pode trazer! 

Você realmente sabe o que é o Imposto de Renda?

Como o próprio nome sugere, trata-se de um imposto, um tributo sobre a renda de cada pessoa. Por renda, compreende-se toda fonte de recursos que temos para garantir nossa sobrevivência. 

Assim, como é natural que haja alteração desses ganhos a cada ano, precisamos atualizar essas informações junto ao Governo Federal por meio da declaração. A partir destes dados, é feita uma análise personalizada para entender se você pagou mais ou menos impostos ao longo do ano. 

Quando você pagou impostos a mais, acontece a restituição, ou seja, o governo “devolve” a você o valor proporcional que você pagou a mais. Caso perceba que você pagou impostos “a menos”, então, é emitido um boleto com essa despesa complementar que você deve pagar para ficar em dia com suas obrigações junto ao Governo. 

O Imposto de Renda, apesar de ser individual e considerar a realidade de cada brasileiro, é um imposto que visa atender a todos, permitindo que mais brasileiros tenham acesso a uma vida melhor

Vale lembrar também que o Imposto de Renda é subdividido entre Pessoa Física e Pessoa Jurídica. 

Reforma tributária do Imposto de Renda: o que mudou?

O Imposto de Renda foi oficialmente instituído em 1922 no Brasil e, desde então, tem os mesmos moldes. Assim, há muito tempo, vem se falando sobre a necessidade de uma reforma tributária do Imposto de Renda

Algumas mudanças pequenas já foram realizadas, no entanto, foi somente no mês de junho deste ano que a proposta ganhou a atenção de todo o país. Essa reforma é necessária já que as fontes de renda dos brasileiros têm sido diversificadas ao longo dos anos, transformando a maneira como geramos nossos ganhos. 

Saiba mais sobre as mudanças para Pessoa Física

Inicialmente, a proposta – que foi construída em duas partes – prevê que haja um aumento na faixa inicial de isenção do imposto de R$ 1.903,98 para R$ 2.500,00. Essa alteração primária impacta também as demais faixas de valores do IR; confira:

  • Se você ganha entre R$ 2.500,01 e R$ 3.200,00, o desconto seria de 7,5% sobre a renda;
  • Se você ganha entre R$ 3.200,01 e R$ 4.250,00, o desconto seria de 15% sobre a renda;
  • Se você ganha entre R$ 4.250,01 e R$ 5.300,00, o desconto seria de 22,5% sobre a renda;
  • Se você ganha acima de R$ 5.300,01, o desconto seria de 27,5% sobre a renda.

Como exemplo: se sua remuneração foi de R$ 3.720,00, o desconto seria de R$ 558,00 diretamente na folha. 

Um dos grandes pontos debatidos a respeito dessa mudança está sobre a última faixa de valor (acima de R$ 5.300,01), já que ao fixar um percentual único para rendas acima desse montante, compreende-se que se pode gerar uma desigualdade, se compararmos, por exemplo, com uma pessoa que ganha mais de R$ 20 mil. 

A segunda mudança significativa abordada pela reforma do Imposto de Renda é referente à declaração simplificada. Com as mudanças, essa opção está disponível para todos os contribuintes, porém, o abatimento diminuiu para R$ 10.563,60 – que atualmente é de R$ 16.754,34.

Dica: Planejar o futuro: 5 dicas para se organizar financeiramente

Além disso, também há impacto sobre imóveis, sendo que o texto aprovado menciona que poderá ser atualizado uma única vez antes da venda, entre janeiro e abril de 2022, mediante pagamento de 4% de imposto de renda. 

Outro ponto é sobre investimentos no exterior que, assim como os imóveis, também poderão ter valores atualizados no mesmo período, todavia, o percentual de pagamento do IR é de 6%. 

Saiba mais sobre as mudanças para Pessoa Jurídica 

Para empresas, o texto aprovado da reforma do Imposto de Renda atua nos seguintes pontos:

  • Tributação de lucros (conforme o porte da empresa);
  • Juros sobre o capital próprio;
  • Pagamento em ações;
  • Dividendos para acionistas em paraísos fiscais;
  • Regime de tributação de lucro de artistas, atletas, holdings patrimoniais, incorporadoras imobiliárias e securitizadoras.

Dica: Saiba tudo sobre empréstimos para micro e pequenas empresas

Saiba mais sobre as mudanças sobre investimentos 

Nos últimos anos, o hábito de investir se tornou ainda mais acessível para todos. Muito além da poupança, novas opções de investimentos surgiram, se adequando à nova realidade. 

Assim, a reforma também traz pontos de alteração referentes aos diferentes tipos de investimentos, como CDB, fundos de renda fixa, fundos de investimentos imobiliários, ações e previdência

Cada investimento tem suas particularidades descritas no texto aprovado e, assim, é importante contar com o auxílio de um profissional qualificado para tirar dúvidas e entender em qual categoria você se encaixa. 

O acesso à informação facilita (e muito) nossa compreensão sobre questões fiscais, como o Imposto de Renda. Mas, é sempre importante contar com quem você realmente pode confiar para tirar dúvidas e fazer a coisa certa. 

Quando o assunto é as suas finanças, ter por perto quem realmente coopera com você faz toda diferença. 

Com a gente, você tem esse apoio no ambiente digital, por meio de nossos conteúdos aqui no blog e nas redes sociais, e também na agência, com nossos gerentes de relacionamento

Vem junto. Somos a Cresol! 

Categorias: Comportamento