Associados

Dia Mundial do Hambúrguer: uma delícia para ser apreciada sem moderação

Dia Mundial do Hambúrguer: uma delícia para ser apreciada sem moderação
Tempo de Leitura: 6 minutos

Não é novidade que o hambúrguer é uma paixão nacional, né?! De carne vermelha, carne branca, peixe, vegetariano e vegano, o lanche tem versões para todos os gostos e bolsos. Essa iguaria tem conquistado cada vez mais destaque no prato dos brasileiros. De acordo com dados do Instituto de Gastronomia (2020), o consumo da deliciosa combinação entre pão e disco de carne ou legumes cresceu 575%, no Brasil. 

Você sabia que essa delicia é milenar e tem uma origem curiosa? O hambúrguer é uma contribuição gastronômica do exército de Genghis Khan (1206), formado por cerca de 150 mil soldados. Para se alimentarem, os cavaleiros transportavam a carne de caça entre a sela e o lombo dos cavalos. Com o impacto durante o transporte e o suor do animal, a carne se tornava uma pasta salgada. Para facilitar a alimentação entre uma batalha e outra, os guerreiros moldavam a pasta em forma de bolas achatadas. Essa maneira de consumir a carne acabou se tornando um hábito.

O prato da maneira que conhecemos hoje é originário de Hamburgo, na Alemanha, e foi produzido pela primeira vez no século XVII, quando um açougueiro da cidade ficou sabendo sobre a apreciação do povo pela preparação e em vez amassar, resolveu moer pedaços de carne. Ele temperou a massa e modelou pequenos bifes arredondados. A novidade, devidamente temperada, saborosa e barata, se popularizou rapidamente. Mas as bolas de carne ainda eram comidas puras, não havia um pão que as envolvesse. O primeiro restaurante, de acordo com os historiadores, a incluir o Hamburger Sandwich em seu cardápio, foi o Del Monico’s, em Nova York, nos anos de 1836. 

Apesar dos americanos não terem inventado o ícone que hoje os define, eles tiveram a ideia de colocar o bife grelhado no meio do pão, dando cara ao sanduíche mais consumido nos Estados Unidos e apreciado em todo o mundo. Em 1900, o cozinheiro Louis Lassen, dono de um pequeno trailer em Connecticut, começou a vender somente bife de carne moída no pão de forma tostado.

Em 1900, o trailer, chamado de Louis Lunch, passou a vender apenas hambúrguer e segue assim, até os dias de hoje. 
Foto: Reprodução/Louis Lunch

Em 1921, surgiu a primeira rede de fast-food de hambúrguer dos Estados Unidos, a White Castle, no Kansas. Os sanduíches eram cozidos no vapor e vendidos por cinco centavos de dólar a unidade. Essa ideia prosperou e vários outros restaurantes investiram no sanduíche como estrela principal do cardápio. 

O primeiro fast-food de hambúrguer caiu no gosto dos clientes pela rapidez e praticidade dos lanches.
Foto: Reprodução/White Castle

As redes de fast-food espalharam-se por todos os cantos do mundo. A carne fresca foi substituída pela processada e congelada, os molhos ganharam inúmeros conservantes e a confecção do hambúrguer tornou-se uma linha de montagem. Em pouco tempo, o hambúrguer ganhou o mundo, tornou-se protagonista em histórias em quadrinho, obras de arte, cinema, jogos, festas e até recordes mundiais.

Com o passar do tempo, o público foi se tornando cada vez mais exigente e, os hambúrgueres artesanais começaram a conquistar o paladar dos consumidores. Diversos restaurantes aproveitaram a oportunidade para criar receitas com sabores, ingredientes e misturas únicas. A Alana Duarte e o marido, Jhonatan Pazinatto, associados da Cresol Chapecó, investiram nessa ideia. Confira a história deles!

Ohana Hamburgueria e Pizzaria: um amor que virou negócio!

Ter o próprio negócio é um sonho para milhares de brasileiros que desejam ser seus próprios chefes. De acordo com o Portal do Empreendedor, em 2020, 12 milhões de pessoas passaram a empreender. Pode até parecer fácil, mas empreender exige burocracia, paciência e força de vontade. A Alana e Jhonatan conhecem bem essa realidade. Em março de 2021, o casal resolveu investir em seu negócio próprio. “A gente queria aplicar o dinheiro que estava guardado em algo para nós, pois não queríamos ficar toda vida trabalhando para outras pessoas como funcionário”, relata. Ao saber que dois conhecidos estavam vendendo o ponto de uma pizzaria, eles não pensaram duas vezes e compraram o espaço. Mas eles queriam mais que uma pizzaria e aí, surgiu a ideia de abrir uma hamburgueria. “Quando resolvemos abrir o nosso negócio, não queríamos ser só mais um em Chapecó. Então, resolvemos abrir a hamburgueria junto a pizzaria”, salienta. Assim, surgiu a Ohana Hamburgueria e Pizzaria.

O cardápio precisava demonstrar o amor e os sonhos que estavam sendo investidos no empreendimento. Pensando nisso, o casal chamou o irmão de Alana, Deivyson Duarte, para montar o cardápio. “Ele já trabalha há anos na área e tem paixão por ela, então chamamos eles para fazer parte desse sonho”, lembra. O valor dos lanches varia de R$19,90 a R$26,00, todos os hambúrgueres são feitos com blend de carne artesanal com gramatura de 180g e são acompanhados por fritas. 

Um dos sabores mais marcantes do cardápio é o Ohana Burger, a delícia feita com pão australiano, blend de carne suína (180g), geleia de abacaxi com pimenta, queijo mussarela, rodelas de tomate e alface americano, é uma criação especial do casal. “A nossa inspiração é trazer para os clientes diversos sentimentos. Uma das sensações que queremos que eles sintam é a alegria em compartilhar o nosso lanche em momentos especiais com pessoas que amam”, ressalta.

O Ohana Burguer é composto por  uma mistura de sabores que encanta qualquer paladar.
Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal

A parceria entre o casal e o irmão tem dado certo e juntos, eles têm colhido os frutos dessa união. “O nosso desafio vem sendo o reconhecimento dentre os gigantes do ramo na nossa cidade. Trabalhamos com qualidade e amor, e isso fará com que logo sejamos uma referência do burger em nosso município e quem sabe região. Precisamos pensar grande né?! (risos)”, destaca. Alana relata que o preparo de cada um dos lanches é feito com muito amor e isso é sentido pelos clientes ao degustarem essas iguarias. “Recebemos vários feedbacks agradecendo e elogiando nosso trabalho. Isso nos motiva a continuar trabalhando todos os dias”, comenta.

De acordo com Alana, a pandemia tem sido uma peça fundamental para o crescimento do negócio, pois o local onde a hamburgueria funciona ainda não tem espaço para consumo. “O pessoal está preferindo ficar no conforto de casa e pedir um lanche, como compramos o ponto sem local para consumo, a pandemia está auxiliando a manter alto as vendas no quesito delivery e retirada no balcão. Em breve, queremos receber no local nossos clientes”, relata.

Mesmo por delivery, o lanche não perde seu charme e mantém todo mundo em segurança.
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Alana ressalta que apesar de nova e pequena, a hamburgueria faz questão de investir em produtos de qualidade. “Nós ainda somos pequenos perto de outras hamburguerias, mas prezamos sempre pela qualidade do produto que iremos oferecer aos nossos clientes”, destaca. Para quem ama hambúrguer e sonha em trabalhar com isso, ela deixa algumas dicas. “Pesquise locais que ofereçam uma boa carne, pães saborosos, entre outros produtos de qualidade. Busque o seu diferencial, pois cada hambúrguer tem seu toque especial e único”, ressalta. Alana finaliza com a dica mais importante, o hambúrguer perfeito começa com amor. “Você tem que amar o que faz, pois tudo que fazemos irá transparecer no produto que estamos disponibilizando”, finaliza.

Suculento, bem temperado, feito com carne de qualidade, cozido com perfeição e ainda por cima, preparado por alguém que ama o que faz! Tem coisa melhor? Dá gosto fazer uma refeição assim. Um bom hambúrguer não faz mal, não dá azia e nem pesa na consciência! Feliz Dia Mundial do Hambúrguer e bom apetite!

Feliz Dia Mundial do Hambúrguer e bom apetite!
Foto: Reprodução/Revista Toda Teen

Categorias: Associados , Especiais