Trigo: um grão que cuida da saúde e alimenta a economia

Trigo: um grão que cuida da saúde e alimenta a economia

Tempo de Leitura: 3 minutos

Cultivado há mais de oito mil anos, o trigo é o segundo cereal mais consumido no mundo. Ele está presente em farinhas, grãos, farelos, pães, massas, bolos, biscoitos e até em bebidas. Tem coisa melhor do que um pãozinho quente com manteiga e um bom café para acompanhar? Dá água na boca só de imaginar! 

O grão é rico em carboidratos, vitaminas, minerais, proteínas e fibras. Seu consumo adequado ajuda a reduzir os riscos de doenças coronarianas, auxilia no controle do colesterol sanguíneo, promove melhora na saúde do intestino e mantém a flora intestinal saudável. 

Que tal conhecer mais sobre esse alimento tão importante para nossa saúde e economia?

De onde vêm o trigo?

O cultivo do trigo começou na Mesopotâmia, numa região chamada pelos historiadores de Crescente Fértil. Atualmente, essa área pertence ao sul do Iraque, Síria, Líbano, Jordânia, Israel e norte do Egito. Os grãos de trigo eram consumidos numa espécie de papa, misturados com peixes e frutas. Da Mesopotâmia, o trigo se espalhou e ganhou o mundo.

No Brasil, o trigo chegou em 1534, pelas mãos de Martim Afonso de Souza, que desembarcou na capitania de São Vicente. Porém, o clima quente do Brasil dificultou a expansão da cultura e somente na segunda metade do século XVIII, o trigo começou a se desenvolver no Rio Grande do Sul. No começo do século XIX, a ferrugem dizimou os as plantações. O plantio só foi retomado nos anos 20, mas foi a partir da década de 40 que a produção começou a se expandir.

Como é o plantio do grão?

O Brasil é o 16º produtor mundial de trigo. Na região Sul, concentra-se a maior parte da produção nacional, tendo Paraná e Rio Grande do Sul como os estados com maior cultivo do grão.

A semeadura deve ser realizada no período indicado para cada município, conforme o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). É importante ressaltar que o trigo tem diferentes fases e cada uma tem suas particularidades, por isso, é indispensável conhecer cada uma delas.

Para iniciar o plantio de trigo você precisa, basicamente, seguir cinco etapas. Confira quais são essas etapas:

1. Adquira sementes de qualidade;

2. Selecione o local para realizar o plantio;

3. Prepare o solo;

4. Realize a semeadura de acordo com os dados fornecidos no ZARC; 

5. Acompanhe o desenvolvimento do trigo.

O plantio de trigo pelos olhos de quem faz acontecer

Em 2020, o Brasil produziu 6.245 milhões de toneladas de trigo e movimentou milhões de reais. O seu Valmir da Silva, associado da Cresol Concórdia – PA de Ipirá, é uma das muitas mãos que produzem esse grão. “Comecei a plantar trigo com incentivo da Cresol. Realizei o financiamento da lavoura na cooperativa e obtive ótimos resultados”, destaca o morador da linha São José, em Piratuba-SC.

O cultivo do trigo é a principal fonte de renda da família do seu Valmir.
Foto: Reprodução/Valmir da Silva

 O trigo é visto como uma cultura rentável e economicamente estável, por isso, muitos agricultores familiares investem no grão. De acordo com um levantamento realizado pelo Governo Federal,  a agricultura familiar produz 21% do trigo brasileiro. Para realizar o plantio, os produtores buscam  nas cooperativas de crédito o investimento necessário. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as cooperativas facilitam o acesso de 1 milhão de agricultores à tecnologia e ao mercado consumidor.

De acordo com seu Valmir, a cooperativa oferece um excelente atendimento, boas taxas e ótimos incentivos para o crescimento do pequeno produtor. “Depois que me associei à Cresol, minha propriedade mudou muito. A cooperativa me ofereceu a oportunidade de crescer junto. Sou muito grato de fazer parte da cooperativa”, finaliza.

A Cresol oferece crédito em todas as fases e estações do ano, para os produtores que não param. A linha de crédito com condições que cabem no seu bolso está aqui. Procure a cooperativa mais próxima e consulte as condições para investir com quem entende do assunto.

* Para a produção deste material foram utilizadas informações disponibilizadas pela Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) e MyFarm.

Leia mais