Associados

Dia Mundial do Leite: um alimento essencial em todas as fases da vida

Dia Mundial do Leite: um alimento essencial em todas as fases da vida
Tempo de Leitura: 3 minutos

Quando nascemos, o primeiro alimento que recebemos, é o leite materno. Ele é considerado o alimento mais importante para desenvolvimento e crescimento dos pequenos, pois contém todas as vitaminas e componentes necessários para essa etapa da vida. Ao longo dos anos, o leite é incrementado na nossa alimentação com novos formatos, como: leite em pó, leite condensado, doce de leite, iogurte, bebidas lácteas, leites fermentados, sorvetes, chantilly, manteiga, requeijão, queijos, cream cheese ou creme de leite. Para suprir as necessidades diárias de cálcio, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU) recomenda consumir três porções de lácteos por dia ou 1000 mg.

Para incentivar o consumo de lácteos, a FAO/ONU estabeleceu em 1º de junho de 2001, o Dia Mundial do Leite. A bebida é uma importante fonte de cálcio e proteínas, além de ter um papel fundamental na nutrição e desenvolvimento do ser humano. 

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de leite, atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. De acordo com o levantamento realizado pela Embrapa Gado de Leite, em 2018 foram produzidos 33,840 bilhões de litros de leite no país. O rebanho leiteiro brasileiro é o segundo maior do mundo com cerca de 70 milhões de animais, entre vacas, novilhas, bezerras e touros. O estudo aponta ainda, que Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Santa Catarina, são os maiores produtores do país.

A força do setor leiteiro na geração de empregos no Brasil é impressionante. Estima-se que mais de um milhão de propriedades rurais no país exploram o leite e geram mais de quatro milhões de empregos diretos, fora outros elos da cadeia leiteira como logística, insumos, comércio e pesquisa. O impacto da categoria supera setores tradicionais e importantes para a economia brasileira, como a construção civil, a indústria automobilística e o ramo têxtil.

Seu Giovani Rogowscki, associado da Cresol Concórdia, conhece de perto a força do setor leiteiro. A ideia era ter a bebida para consumo próprio, mas em pouco tempo, ela se tornou parte da renda do agricultor e de sua família. Confira essa história!

A produção de leite como fonte de renda

A atividade leiteira na propriedade do seu Giovani Rogowscki iniciou por volta de 1954, com o intuito de suprir as necessidades de consumo da família. Na época, o foco da propriedade era o cultivo de milho, pimenta para temperos e criação de suínos em ciclo completo. Em 1982, a família produzia 50 litros de leite por dia e resolveu comercializar o alimento.

A partir dos anos 2000, a família resolveu investir ainda mais na atividade leiteira. Com o auxílio da Cresol, Giovani financiou um free-stall, uma estrutura utilizada para confinamento de rebanhos leiteiros que consiste em áreas com camas individualizadas, corredores de acesso e pistas de trato. “A Cresol forneceu um atendimento rápido e humanizado”, destaca. Com as melhorias, a família passou a produzir 1000 litros de leite por dia e a produção da bebida tornou-se a principal atividade da propriedade. O agricultor relata que tem planos de aplicação da atividade. “Hoje temos 30 animais em lactação, a ideia é ampliar esse número para 50. Queremos dar início a essa etapa ainda esse ano”, destaca.

O sistema free-stall reduz a posição excessiva, permite uma  ruminação mais eficiente, melhora a limpeza e minimiza lesões nos animais.
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Além do leite, Giovani realiza a criação de suínos na fase de creche, cultivo de erva-mate, milho e soja. Todas as atividades são realizadas em família. O agricultor destaca que cuidar da propriedade é trabalhoso, demanda tempo e interesse. “Não tem fim de semana e nem tempo ruim. A gente precisa acordar cedo todos os dias, mas faz tudo com gosto”, salienta.

Na propriedade do Giovani, a família toda participa das atividades agrícolas.
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

A dica do Giovani para quem deseja trabalhar ou qualificar-se na atividade leiteira é prezar por uma gestão de qualidade. “A boa gestão dos insumos, das finanças e do estoque são o coração de qualquer negócio”, destaca. O conselho mais importante, é gostar de trabalhar com a produção de leite. “Você precisa gostar do que faz para ser bom e importante, envolver aqueles que você ama nesse processo”, finaliza.

O dia de hoje é para comemorar as coisas boas que o leite nos oferece e nada melhor para celebrar esta data do que beber um copo de leite e comer um bom queijo. Não deixe para amanhã o leite que você pode beber hoje! 

Categorias: Associados , Especiais