Especiais

Por um mundo melhor

Por um mundo melhor
Tempo de Leitura: 3 minutos

Histórias de quem coopera por um planeta sustentável

Vivemos em uma era de constante atualização, necessidade de praticidade e informações instantâneas, onde despertar o desenvolvimento da consciência coletiva sobre os cuidados com o lixo, a importância da reciclagem adequada dos materiais, a preservação do meio ambiente e a saúde da população, são desafios. 

Para celebrar a Semana do Meio Ambiente, a Cresol convidou associados que desempenham pequenas mudanças sustentáveis no dia a dia para gerar um mundo melhor para as próximas gerações, para falarem um pouco sobre essas atitudes.

Consciência coletiva: comportamentos e atitudes que contribuem para preservar o amanhã 

Depois de desenvolver um projeto de extensão da universidade e verificar os desafios dentro da comunidade onde mora, a Ana Paula Oleskovicz, associada da Cresol PA Papanduva, resolveu iniciar seu projeto por um mundo mais limpo e consciente. Em meio a essa jornada, ela conheceu a associação de catadores de materiais recicláveis do município de Papanduva-SC e sentiu vontade de fazer mais por esses trabalhadores tão importantes, que não recebem o devido reconhecimento. “Desde que conheci eles, comecei com a busca pela consciência coletiva da comunidade, para que eles pudessem ajudar a associação através da separação do lixo doméstico”, lembra.

Determinada a ajudar o meio ambiente, Ana Paula encontrou na associação de catadores de materiais recicláveis, aliado para essa batalha.
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Pensando na importância de melhorar a qualidade do material que chega até a associação e na conscientização da comunidade, Ana aproveitou passou a utilizar as redes sociais para difundir a educação ambiental. “Para ajudar nessas atitudes sustentáveis, criei uma página no Facebook, um perfil no Instagram e uma lista de transmissão no WhatsApp”, relata. Ela salienta que passou a utilizar suas redes sociais como canal de informação. “Procuro dividir com as pessoas a forma como separo e entrego meu lixo para o catador, o meu modo de consumo consciente e a importância de prestar atenção nas embalagens”, destaca. Através do projeto, ela passou a atuar como consultora ambiental.

O projeto, segundo Ana, busca um olhar mais humano e empático para os catadores de resíduos recicláveis, já que muitas vezes, eles acabam sendo esquecidos. “A ideia é sempre focar e melhorar as condições de vida dos catadores”, aponta. Por meio do programa, ela busca colocar ideias de coleta seletiva, descarte correto, consumo consciente, logística reversa e outras atitudes sustentáveis, para que a sociedade possa ajudar, de uma forma mais orgânica, a melhorar o nosso planeta.

Ana destaca que além de gerar renda e oportunidade para muitas famílias, a separação de resíduos correta é indispensável para a preservação do meio ambiente. “Todo material reciclado que é separado e é encaminhado para coleta seletiva, deixa de estar na nossa comunidade, em rios, nas ruas e em bueiros”, salienta. De acordo com ela, as empresas e as pessoas estão cada vez mais engajadas com essa pauta. “Os resíduos sólidos são um mundo novo, embora estejam na lei há mais de 10 anos, está nascendo agora na cabeça das pessoas e passou a ser mais viabilizada pelas empresas. É uma logística reversa que traz muitos benefícios”, frisa.

Antes da pandemia, Ana realizava palestras e visitas ao galpão com o intuito de reforçar a prática da coleta seletiva dentro das comunidades. 
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Para Ana, as pessoas podem contribuir para um mundo melhor separando seu lixo orgânico e reciclável. “É uma atitude simples que pode mudar muito a vida das pessoas que vão receber esses materiais nos galpões de reciclagem”, finaliza.

Desenvolvendo a consciência coletiva na hora de separar os resíduos, você gera renda, oportunidades e melhora a qualidade de trabalho dos coletores. E aí, vamos juntos cooperar por um mundo melhor?

Categorias: Especiais , Por um mundo melhor