Associados

O que você tem a ver com as Fake News?

O que você tem a ver com as Fake News?
Tempo de Leitura: 3 minutos

Se você costuma pesquisar, checar se uma informação é verdadeira antes de passá-la adiante e toma cuidados no universo on-line, digamos que, você está “isento” de culpas. Porém, se você compartilha tudo que chega até você e não se importa de onde ela saiu, tome cuidado, você está contribuindo com algo ilegal.

As fake news, ou notícias falsas, são problemas sérios em períodos de eleições e agora na pandemia da Covid-19 elas prestam um desserviço à saúde, podendo prejudicar muitas pessoas. As mentiras espalhadas como verdades são muito antigas. Quem mora em município de pequeno porte sabe muito bem como fazem os fofoqueiros da cidade: espalham de tudo sobre a vida dos outros e não se importam de se certificar antes se é verdade o que estão dizendo. Aí começam os boatos: “ah, mas diz que…”, “Não, o fulano me disse que…”, e assim vai, a fofoca só aumenta e em pouco tempo o município toma como verdade algo que pode ter sido inventado por alguém mal intencionado, sem caráter.

No entanto, com as mídias digitais essas “fofocas” se espalham com muito mais intensidade e inclusive com ajuda de robôs. Mas, o que leva alguém a criar notícias falsas?

Motivações para notícias falsas

Os motivos para espalhar mentiras são vários. Há pessoas que criam manchetes absurdas com interesse de atrair visitantes em seus sites, e com isso ganhar em publicidade. Você já deve ter visto uma manchete chamativa e quando foi ler o texto não tinha nada a ver, não é mesmo?

Outras vezes, as fake news são criadas para disseminar ódio, mentiras ou para reforçar um determinado pensamento. Costuma afetar políticos, empresas e personalidades. Às vezes essas notícias chegam a matar artistas vivos, ou seja, divulgam que determinado cantor ou atriz morreu em um acidente, quando na verdade a pessoa está superbem.

Nestes tempos de pandemia, em que a população aumentou o tempo na internet, e ainda, que muitas pessoas infelizmente estão com muitas dificuldades, aparecem os golpistas, criando páginas com nomes falsos a fim de aplicar golpes em pessoas desavisadas. Nesta semana mesmo, chegou ao nosso conhecimento uma página de Facebook que estava divulgando que as primeiras duas mil pessoas que comentassem dentro das regras impostas ganhariam uma máquina de lavar. Não precisa dizer que choveu de comentários. No entanto, vinculada a esta suposta “promoção”, havia uma foto de associados da Cresol que foram contemplados há algum tempo em uma campanha que desenvolvemos. Já percebemos a falsidade da postagem, pois utilizou uma imagem nossa, totalmente fora de contexto e sem autorização. Ainda, algumas pessoas comentaram na referida página que quem “ganhava” tinha que pagar frete, sem ter garantias que a máquina chegaria. Portanto, visivelmente percebe-se um golpe.

Denuncie

E o que fazer diante dessas situações?

Caso você esteja no Facebook, existe uma ferramenta em que você pode denunciar uma postagem ou até mesmo uma página. Portanto, quando você ver algo e perceber que trata-se de uma notícia falsa ou um perfil fake, não hesite: denuncie. Se várias pessoas denunciarem uma mesma postagem é mais fácil que o Facebook tire do ar.

Mas o mais importante: não compartilhe algo que você não tenha certeza ser verídico. Porque há meios, como WhatsApp, que são muito difíceis de controlar, por isso, cuidado com o que compartilha. Se sua família, seus amigos, mandarem pra ti ou em grupos, inverdades, corrija. Seja alguém responsável, um cidadão preocupado com o bem comum. Sabemos que notícias ruins correm rápido, por isso, as fake news se espalham muito rapidamente.

Faça a sua parte. Duvide do que lê e procure outras fontes de informação, principalmente, em canais oficiais e que tenham credibilidade. Cheque sempre antes de compartilhar. Já é possível a checagem de informações suspeitas, como por exemplo, a Agência Lupa (https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/).

Portanto, não contribua com a criminalidade. Cheque, compare e na dúvida: não compartilhe.

Categorias: Associados