Comportamento

Meios de pagamento: entenda os tipos e como funcionam

Meios de pagamento: entenda os tipos e como funcionam
Tempo de Leitura: 3 minutos

O dinheiro vivo ainda é bastante usado pelos brasileiros, mas o avanço da tecnologia tem mudado essa realidade. Com novos hábitos de consumo, que incluem principalmente as compras pela internet, os meios de pagamento também se diversificaram.

Alternativas como o boleto bancário, as carteiras eletrônicas e o Pix são importantes para atender as demandas do público. Elas atingem uma parcela da população que às vezes nem tem conta em banco. Além disso, algumas pessoas consideram essas soluções mais seguras que a moeda em espécie.

7 tipos de meios de pagamento para você conhecer

Para você ter uma ideia das opções, abaixo elencamos sete meios de pagamento possíveis nos tempos atuais. Acompanhe a lista e veja quais são as tendências do mercado:

1. Dinheiro

O pagamento em espécie ainda é o método preferido dos consumidores brasileiros em lojas físicas. Segundo o relatório Global Payments Report 2021, o valor de vendas em dinheiro nos pontos presenciais equivale a 35% do total. A pesquisa foi conduzida pela FIS, empresa internacional do setor de pagamentos.

Para lojistas, a principal vantagem do dinheiro vivo é a ausência de taxas operacionais. Isso dá margem até para oferecer descontos à clientela. Porém, um grande volume de cédulas em circulação requer um espaço seguro para o armazenamento, incluindo uso de cofre.

2. Cartão de crédito

O cartão de crédito é o segundo meio mais utilizado no comércio físico, correspondendo a 34% do valor de vendas. Já no e-commerce, ele é o campeão, alcançando 43% do total.

A praticidade e a segurança são algumas das razões para aderir a essa opção de pagamento. Por exemplo, é possível parcelar uma quantia alta em várias vezes, o que garante a aquisição de itens importantes mesmo quando a pessoa não tem os recursos necessários para uma compra à vista.

3. Cartão de débito

Esse cartão é ótimo para pagamentos no ato da compra. O valor é descontado da conta corrente na mesma hora, então o cliente não corre risco de contrair dívidas. E ainda há a vantagem de circular pela rua sem muito dinheiro no bolso – um comportamento mais prudente nos centros urbanos.

Tanto o cartão de crédito quanto o de débito geram custos ao empreendimento, já que as operadoras das maquininhas cobram taxas sobre cada transação. Ainda assim, esses são meios de pagamento muito populares, que não podem faltar num ponto de venda.

4. Boleto bancário

O boleto segue popular porque dispensa conta em banco. Assim, quem não tem cartão consegue efetuar compras parceladas, pagando prestações como se fossem uma fatura de luz ou água.

No entanto, talvez devido à presença cada vez maior de soluções digitais no comércio, essa alternativa vem perdendo destaque. Conforme o levantamento da FIS, 12% do valor de vendas do e-commerce brasileiro é com boleto bancário, percentual superior ao da América Latina. No cenário global, o método de pagamento é praticamente inexistente.

5. Carteira digital

As e-wallets superaram o boleto bancário nas compras on-line: rendem 17% do valor total de vendas. Isso porque são práticas e possuem mecanismos digitais para evitar fraudes. 

Basicamente, elas atuam como um meio eletrônico para pagamentos e transferências. Não é necessário ter um cartão físico, muito menos dinheiro em espécie. Basta um aplicativo de smartphone para realizar as operações.

A carteira digital acaba sendo mais segura que o cartão de crédito porque, nesse último caso, é preciso fornecer dados pessoais no ato da compra. Aí, se o site sofrer um ataque, as informações caem nas garras de bandidos.

6. Contactless

O pagamento por aproximação, ou contactless, é uma tendência de mercado. Nas interações presenciais, basta aproximar o cartão, o celular ou outro dispositivo com tecnologia Near Field Communication (NFC). A maquininha registra a compra sem necessidade de digitar senha, algo mais higiênico em tempos de pandemia. O valor pode ser descontado do cartão de crédito ou da e-wallet.

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) informa que esse hábito está em expansão. De R$ 7,2 bilhões transacionados via contactless em 2019, o montante passou para R$ 41 bilhões em 2020.

7. PIX

E chegamos a um dos meios de pagamento mais revolucionários dos últimos tempos. Lançado pelo Banco Central no fim de 2020, o Pix já supera métodos tradicionais como TED e DOC. Foram mais de R$ 1,1 trilhão movimentados só nos primeiros seis meses de funcionamento.

A transferência instantânea, a qualquer hora do dia, é o grande chamariz. O dinheiro cai na conta do destinatário em poucos segundos, sem intermediários, o que também diminui as despesas operacionais.

Por isso, muitos lojistas aceitam pagamento com Pix. Inclusive, dá para gerar um QR Code para o cliente aproximar o celular da imagem e concluir a operação em instantes, sem digitar senha em maquininha nem fornecer dados pessoais.

E então, conhecia todas essas possibilidades? Se você atua no comércio, deve prestar atenção às novidades do mercado para utilizar os meios de pagamento populares entre seu público-alvo. Isso abre portas para mais vendas.

Esperamos que o conteúdo de hoje tenha sido útil. Siga de olho no blog da Cresol para mais informações sobre finanças. Até a próxima!

Categorias: Comportamento