Educação Financeira

5 dicas para você alcançar a independência financeira

5 dicas para você alcançar a independência financeira
Tempo de Leitura: 3 minutos

Imagine se dinheiro não fosse mais uma preocupação em sua rotina. É essa a conquista de quem atinge a independência financeira. Com organização das despesas e mudanças em alguns hábitos, você também pode chegar lá – ou, pelo menos, garantir um padrão de vida confortável para sua família. Saiba mais a seguir!

O que é independência financeira?

Independência financeira significa ter patrimônio suficiente para viver de renda. Você pode até continuar trabalhando, mas o rendimento das suas aplicações ou os dividendos das suas ações já cobrem os gastos do mês.

Claro que, para se chegar a tal ponto, é necessário muito dinheiro. Um cálculo rápido consiste em multiplicar o orçamento mensal por 300. Ou seja: se você quisesse receber um “salário” de 5 mil só com o lucro dos investimentos financeiros, precisaria ter R$ 1,5 milhão guardados.

Esse exemplo leva em conta um carteira diversificada, com ativos em renda fixa e renda variável, chegando a uma rentabilidade de 4%. Parece impossível para quem mal consegue quitar os boletos do mês, né?

Por isso, podemos pensar em independência financeira de uma maneira mais modesta. Trata-se, simplesmente, de obter ganhos maiores que as despesas. Dessa forma, sempre sobra uma graninha para poupar e investir.

Seguindo essa perspectiva, é improvável que você possa largar o trabalho para viver só de renda. Porém, conseguirá uma vida muito mais tranquila, sem acumular dívidas nem abrir mão de alguns luxos de vez em quando.

5 dicas para ter independência financeira

Abaixo, listamos cinco passos para a tão sonhada independência financeira. Eles poderão ajudar você a organizar melhor o orçamento pessoal, de modo que o dinheiro deixe de ser uma preocupação urgente. Acompanhe:

1. Mantenha o controle das finanças

Primeiro, você deve monitorar os seus gastos mensais. Anote tudo numa planilha, desde o lanche no intervalo do trabalho até os pagamentos dos boletos. Essa ferramenta de controle financeiro serve para mostrar qual é o seu real custo de vida.

Lembre-se de que algumas despesas são fixas (aluguel, plano de internet, etc), enquanto outras são variáveis (supermercado, farmácia, etc). Portanto, é importante seguir com o monitoramento por uns meses para ter ideia da sua média de gastos.

2. Monte uma reserva

A reserva de emergência é um fundo para cobrir situações imprevistas, como perda do emprego, tratamento de saúde ou o conserto do carro após um acidente. Especialistas em finanças pessoais recomendam guardar uma quantia equivalente a seis meses do próprio salário.

Atenção: junte esse dinheiro na caderneta de poupança ou em outro fundo de renda fixa com liquidez imediata. Desse modo, você poderá fazer o resgate (saque) a qualquer momento.

Dica: Aprenda como montar a reserva de emergência

3. Respeite seu estilo de vida

Como dito anteriormente, um passo essencial para a independência financeira é ganhar mais do que você gasta. Sendo assim, procure adequar seu estilo de vida à renda que você tem.

Evite as compras por impulso, o desperdício e os supérfluos. Esses episódios consumistas vão apenas comprometer seu orçamento mensal com mais dívidas.

Em vez disso, assuma metas financeiras. Quer viajar, comprar uma casa ou trocar de carro? Então estipule uma quantia mensal para poupar. Quanto maior a soma, mais rápido você terá o total necessário para concretizar seu sonho.

Dica: 6 erros de quem quer poupar dinheiro e como evitá-los

4. Desenvolva o hábito de poupar

A poupança pode ir muito além da reserva de emergência. Na verdade, a melhor estratégia é tratar esse compromisso financeiro como algo obrigatório, tipo a conta de água ou de energia elétrica.

Todo mês, assim que você receber seu salário, reserve uma parte. Não precisa ser muito, desde que seja sempre. A constância cria o hábito – e, quando você percebe, tem um ótimo patrimônio acumulado.

5. Se puder, invista

Dinheiro parado na caderneta de poupança perde para a inflação. Em outras palavras, seu poder de compra diminui.

Diante disso, quem já tem uma boa quantia na reserva deve encontrar meios de multiplicar os ganhos. Estamos falando dos investimentos em renda fixa e renda variável, que entregam juros ou dividendos para você alcançar a independência financeira.

Existem diversas opções de aplicação, com níveis variados de risco. Informe-se para descobrir qual delas é mais adequada ao seu perfil.

Dica: Como investir dinheiro – guia para iniciantes

Atinja a independência financeira com a Cresol

Gostou do conteúdo de hoje? Esperamos que as dicas contribuam para você manter uma relação mais saudável com o dinheiro. Se não der para atingir a independência financeira total, ao menos será possível encostar a cabeça no travesseiro e dormir bem, sem perder o sono por causa das dívidas ou do orçamento curto! 😉

A Cresol oferece diversas opções de investimentos, seguros e demais soluções financeiras para o dia a dia. Conheça os produtos em nosso site!

E continue acompanhando este blog para mais informações. Voltaremos em breve. Até mais!

Categorias: Educação Financeira