Gestão

Guia do empreendedor: passo a passo para começar o próprio negócio

Tempo de Leitura: 3 minutos

Abrir o próprio negócio traz a oportunidade de você desenvolver um empreendimento com a sua cara. Porém, a liberdade de ditar as regras da empresa vem com muitos desafios: é preciso pensar no orçamento, na gestão e até na viabilidade do projeto. Por isso, criamos este breve guia do empreendedor com dicas essenciais para sua jornada.

Como começar um negócio do zero em 7 passos

A vontade de trabalhar é apenas o começo. Depois de entender o que você quer fazer, vêm a pesquisa e o planejamento para saber como realizar esse sonho. Acompanhe:

1. Tenha um propósito

Um novo negócio surge para atender a uma demanda da sociedade. Você deve oferecer um produto ou serviço que as pessoas queiram consumir, ou que torne a vida delas mais fácil. 

Procure aliar a necessidade do público a seus objetivos pessoais. Por exemplo, um restaurante popular sempre terá clientela, pois todo mundo precisa comer, mas pouco adianta se aventurar nesse segmento caso você não tenha intimidade com a cozinha. A experiência de empreender ficará mais difícil, e provavelmente um pouco frustrante.

Portanto, aplique seu talento num nicho onde você realmente deseje estar.

2. Pesquise o mercado

Após identificar a demanda, verifique como ela vem sendo atendida. É hora de executar um processo conhecido como benchmarking.

Trata-se de observar a concorrência para analisar os pontos fortes e fracos dessas empresas. Lembre-se: você terá que ingressar no mercado com um diferencial, ou seja, um jeito inédito, mais barato ou melhor de entregar o serviço em questão.

Também vale a pena entender o público-alvo. Quem são esses indivíduos? Onde eles moram? Qual sua média de idade? E o poder aquisitivo? As respostas ajudarão a montar um plano de negócios mais eficiente.

3. Defina o investimento

Chegamos a uma etapa crucial de nosso guia do empreendedor: o orçamento. Isso porque você precisará de capital inicial para montar a loja, adquirir insumos e contratar pessoal, entre outras despesas.

Dica: Guia prático de financiamento para empresas

Todos os custos deverão ser previstos. Entram aí, inclusive, os impostos e taxas para abertura de CNPJ. Na dúvida, consulte um escritório de contabilidade.

Separe, ainda, um montante para funcionar como capital de giro. O valor cobrirá os pagamentos a fornecedores e os demais gastos do dia a dia.

Dica: Financiamentos para micro e pequenas empresas: tudo o que você precisa saber!

Dica: se você não tem todo esse dinheiro, vá a uma instituição financeira. Há linhas de financiamento e crédito específicas para quem está começando um negócio.

Assista ao vídeo abaixo e entenda como a Cresol pode te ajudar.

4. Qualifique-se

Empreendedores e empreendedoras de primeira viagem devem conhecer um pouco de administração, finanças, gestão de pessoas, marketing… São muitos elementos para a empresa decolar!

Como ninguém nasce pronto, a saída está nos estudos. E tem bastante material on-line, gratuito, para consulta.

Dica: Educação Financeira: aprenda a cuidar de seu dinheiro

Organizações como o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e o Cresol Instituto oferecem cursos excelentes. Você vai aprender a equilibrar as despesas, liderar uma equipe e identificar oportunidades de melhoria para o seu estabelecimento.

Dica: Cresol Instituto: Conheça as vantagens do instituto de formação da Cresol

5. Monte um plano de negócios

Com base nas informações adquiridas até aqui, você deve elaborar um plano de negócios. Ele consiste num documento onde são descritas as metas da empresa e as táticas para alcançá-las: quanto você pretende faturar por mês, quanto tempo levará para o investimento inicial dar retorno, se há pretensão de expandir no futuro etc.

Vale ressaltar que as primeiras projeções nem sempre se concretizam. Imprevistos acontecem, né? No entanto, à medida que você vai compreendendo melhor o mercado, dá para ter uma noção mais realista do trabalho. Então, pode-se fazer os devidos ajustes no planejamento.

Dica: 9 dicas para organizar as finanças em 2021

6. Formalize a empresa

Existem burocracias que precisam ser cumpridas para abrir um negócio conforme a lei. Você terá que ir à Junta Comercial de seu município, dar entrada num CNPJ e obter as licenças correspondentes ao seu nicho de atuação. 

Alguns empreendimentos só podem operar depois da vistoria dos Bombeiros e da concessão de alvará, por exemplo.

De novo, é importante contar com o apoio de um escritório de contabilidade, ou mesmo de um advogado. Os profissionais auxiliam a emitir os documentos certos e a seguir os protocolos de formalização.

7. Divulgue seus serviços

Formalidades cumpridas, loja montada. Tudo pronto para começar o próprio negócio, certo? Quase.

Não basta ter um serviço de qualidade ou um produto que o público deseja. Se você se esquece de divulgar sua marca, as pessoas talvez nem saibam da existência da empresa!

Logo, o planejamento deve incluir verba para marketing e comunicação. Páginas em redes sociais, campanhas publicitárias na mídia local ou mesmo um evento de inauguração podem atrair os olhos do público. Invista nessas estratégias – e num atendimento excelente, claro – para cativar a clientela.

E assim chegamos ao fim de nosso guia do empreendedor. Gostou? Esperamos que as dicas de hoje sejam úteis para você abrir um negócio.

Precisando de mais conteúdo sobre gestão e finanças, siga de olho em nosso blog. Traremos novidades em breve. Até lá!

Categorias: Gestão