Seguros

Como contratar um bom seguro?

Como contratar um bom seguro?
Tempo de Leitura: 5 minutos

Para que você, sua família ou sua empresa vivam mais tranquilos, ter seguro é muito importante. Não o encare como despesa, mas sim como proteção. Neste post temos algumas dicas para você contratar um bom seguro e também como proceder caso bata o carro, tenha a casa destelhada ou ocorra algum outro tipo de prejuízo.

Seguros são investimentos para cuidar de você, da sua família e do seu patrimônio.
Foto: Reprodução/Pixabay

Qual sua necessidade?

Quando você for contratar um seguro, independente de qual, a primeira dica é se perguntar: qual é a minha necessidade?

Isso o ajudará a contratar um seguro com todas as coberturas que precisa, para que não tenha nem a menos, nem a mais, evitando pagar um valor desnecessário ou contratando algo que caso ocorra algum sinistro não lhe atenda satisfatoriamente. Por isso também, é importante você procurar uma corretora idônea e responsável que poderá lhe ajudar a decidir.

Como agir em caso de sinistro?

Quem já se envolveu em algum acidente de trânsito sabe o quanto é ruim a sensação. Ter um seguro de automóvel está cada vez mais imprescindível, pois não importa se você se cuida e dirige com cuidado. Sempre tem aquele afoito ou descuidado no trânsito que pode bater no seu carro. Se você tiver sorte, ele vai arcar com o prejuízo, senão…é melhor ter garantias.

Agora, se foi você que por alguma desatenção provocou o acidente, caso tenha o seguro, temos algumas dicas.

O primeiro passo é ver se está todo mundo bem fisicamente, pois os danos materiais podem ser resolvidos depois. Se todo mundo estiver bem, ligue para a seguradora para providenciar o serviço de guincho e um táxi. Em um primeiro momento se não houver vítimas não é necessário um Boletim de Ocorrências. Caso queira fazer para se resguardar melhor, já que é um documento oficial dos órgãos de segurança, mas não precisa ser na hora.

Chegando em sua residência em momento de maior conforto você liga no 0800 da seguradora, relata como foi o acidente, onde ocorreu, quais foram as circunstâncias, enfim, passe o máximo de informações possíveis sobre o acidente. Se você contratou o seguro na Cresol, você pode acionar a cooperativa nessas ocorrências, pois nossos funcionários poderão lhe ajudar a fazer o contato com a seguradora e lhe explicar como proceder na sequência.

O que determina o custo de um seguro?

Para o cálculo do valor do seguro de um automóvel é levado em consideração o que se chama perfil do segurado: sexo, idade, estado civil, região de circulação da pessoa e tipo de carro.

Se você for mulher, por exemplo, o custo é menor, pois estatisticamente as mulheres cuidam mais e se envolvem com menor frequência em sinistros. Já os jovens (18 a 24 anos) possuem um custo de seguro mais elevado, pois a exposição ao risco é maior que uma pessoa mais velha, casada, que procura andar com mais segurança (claro que não podemos generalizar, mas as seguradoras levam em conta as estatísticas).

Sempre fale a verdade

No momento de contratar o seguro é muito importante ser correto nas informações. Mentir ou omitir informações para reduzir custos pode gerar problemas. Por exemplo, no momento da contratação você afirmou para seu corretor que não residiam contigo jovens de 18 a 24 anos, ou que não faziam uso do carro. Caso você tenha afirmado isso e alguém que mora na mesma casa (seja filho, primo, amigo, tia, irmão…) pegue seu carro e se envolva em acidentes, isso poderá resultar em negativa da seguradora.

Por isso, para não correr risco, sempre responda corretamente. Caso as pessoas que residam contigo não sejam dessa faixa etária e peguem o carro esporadicamente o valor do seu seguro não irá aumentar, mas se forem jovens o preço difere. Independente disso, quando seu corretor lhe perguntar, seja sempre sincero.

Também pode acontecer de você emprestar seu carro para um amigo ou para um parente distante que veio lhe visitar e essa pessoa bater o carro. Se essa pessoa não reside contigo, pegou o carro esporadicamente, a seguradora vai entender isso e vai indenizar sem problemas.

Além de ser sincero no momento da contratação, é necessário sempre informar o corretor se houver qualquer mudança durante a vigência do seguro: troca de carro, alteração de estado civil, transferência de residência, entre outros. O seu seguro poderá aumentar ou reduzir o valor, mas o importante é que você continuará protegido com todas as garantias.

Roubo ou furto do veículo

Outra cobertura para automóvel é a de furto. Quando isso ocorre há duas situações: caso seu carro seja financiado, a companhia quitará a dívida que ainda consta e o restante do valor vai para você. Agora, se o carro está quitado, a seguradora pagará 100% para o segurado.

Importante destacar que a indenização sempre é feita para o proprietário legal do veículo, mesmo que o condutor principal seja outro.

Seguro Residencial

Você quer contratar seguro para sua casa? Ou já contratou?

As coberturas básicas e que são obrigatórias são para incêndio, roubo e responsabilidade civil. A responsabilidade civil é, por exemplo, caso tenhas um cão que escapa e ataca uma criança na rua. A responsabilidade sobre o cachorro é sua e logo deverá prestar todo o atendimento necessário a pessoa atacada. Se você tiver o seguro, poderá arcar com despesas de hospital e outros gastos com mais tranquilidade.

Mas há também serviços complementares como chaveiro, eletricista, encanador, entre outros. Por isso, no momento de contratar, verifique suas necessidades, conforme ressaltamos no início deste artigo. Por exemplo, se você mora em regiões em que é comum vendavais é imprescindível que você contrate seguro para destelhamentos.

O processo para indenização é parecido com o do veículo. Você vai ligar no 0800 da seguradora, ou avisar seu corretor, comunicar o fato, relatar o que ocorreu, a seguradora fará uma vistoria no local, vai levantar os prejuízos e vai indenizar o cliente.

Seguro empresarial

Para as empresas, o básico também é seguro para incêndio, roubo e responsabilidade civil. Porém há contratações complementares que devem ser analisadas pelos empresários, conforme suas necessidades.

Para mais informações sobre seguros de automóvel, residencial e para empresas, você poderá ouvir nosso podcast sobre seguros com o funcionário da seguradora Liberty, Ricardo Barros.

Seguro de Vida

Hoje cerca de 19% da população brasileira possui seguro de vida. Muitas pessoas evitam pensar na morte ou que pode perder a capacidade de trabalhar devido a um acidente, por exemplo. Além disso, as pessoas pensam no seguro de vida apenas como uma despesa e abrir mão de consumir algo no presente para contribuir com o seguro desperta a sensação de perda.

Porém, o seguro de vida garante proteção financeira para seus familiares e/ou pessoas que dependem de você, no caso de sua falta ou invalidez. Ele pode ser utilizado em tratamentos que planos de saúde não cobrem, custear medicamentos, pode ser usado para quitar dívidas ou plano de financiamento do segurado no caso de morte ou invalidez.

A principal proteção é a cobertura de morte garantia básica, onde a seguradora garante o pagamento de uma indenização de 100% aos beneficiários, caso aconteça falecimento do segurado principal, em caso de morte natural ou acidental. Porém, outra cobertura importante é para diagnóstico definitivo de doenças graves como câncer, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência renal terminal e transplante de órgãos.

Saiba mais sobre seguro de vida aqui. Conversamos com Celso Ricardo de Assumpção da Icatu Seguros sobre o tema.

Categorias: Seguros