Educação Financeira

Aprenda como calcular lucro na sua empresa

Aprenda como calcular lucro na sua empresa
Tempo de Leitura: 3 minutos

Para um negócio dar certo, ele precisa ser sustentável. Isso significa fechar o mês no azul, gastando menos que o dinheiro arrecadado naquele período. Porém, mesmo quando as contas estão em dia, sempre há formas de melhorar a saúde financeira da empresa. É por isso que você deve saber como calcular o lucro, um dos principais indicadores de que o trabalho vai bem.

O artigo de hoje traz detalhes sobre o assunto. Vamos explicar a diferença entre lucro e faturamento, mostrar como você pode avaliar a lucratividade de seu empreendimento e, ainda, dizer por que esses números são tão importantes. Fique conosco.

Diferenças entre faturamento, lucro e margem de lucro

Quem vê dinheiro entrando em caixa pode até se animar, mas com cautela. É que boa parte desse montante serve para cobrir os gastos operacionais da empresa. Ou seja: não cai direto no bolso do proprietário.

As entradas, também chamadas de receitas, correspondem ao faturamento. Esses são os valores que você acumula com a venda de um produto ou serviço.

Para calcular o lucro, é preciso pegar o faturamento de um determinado período – digamos, um mês ou um trimestre – e diminuir os gastos. Entram aí tanto os custos de produção quanto as demais despesas do negócio (aluguel, impostos, salário dos colaboradores, entre outras).

Existe, ainda, um terceiro indicador muito útil para a contabilidade: a margem de lucro. Trata-se de um percentual obtido pela divisão do lucro sobre a receita total do empreendimento. Vamos explicar melhor em seguida.

Dica: Como montar o planejamento financeiro empresarial

Como calcular o lucro da empresa

O cálculo do lucro consiste numa operação básica de subtração. Você simplesmente considera o faturamento total e diminui os gastos referentes àquele período. O resultado serve para ter uma noção da saúde financeira do negócio.

No entanto, vale destacar que existem maneiras diferentes de calcular lucro. Alguns gestores gostam de diferenciar lucro bruto de lucro líquido. Perceba a diferença:

Lucro bruto

Esse considera apenas os gastos variáveis do negócio, como a compra de insumos e o pagamento das contas de água e de energia elétrica. 

O objetivo é entender o custo de produção, isto é, quanto a empresa paga para oferecer seus produtos ou serviços ao público.

Lucro líquido

o lucro líquido leva em conta, junto aos gastos variáveis, as despesas fixas do empreendimento. Essa lista inclui o aluguel da loja, a folha salarial e os impostos, entre outros itens que não oscilam de preço. Assim, chega-se ao rendimento real daquele período.

Por exemplo, digamos que o faturamento de janeiro tenha sido de R$ 20 mil. Se as despesas fixas e variáveis chegarem a R$ 12 mil, o lucro líquido do mês será de R$ 8 mil.

Margem de lucro

Por fim, temos a margem de lucro, que é expressa em porcentagem. A fórmula do cálculo é a seguinte: lucro dividido pelo faturamento vezes 100. Tomando como base o exemplo anterior, teríamos:

R$ 8 mil / R$ 20 mil = 0,4 x 100 = 40%

Esse indicador de 40% diz respeito à lucratividade do negócio, uma informação importante na hora de obter financiamento ou empréstimo de terceiros. É que apenas o valor em reais pode não ser suficiente para entender a realidade da empresa.

Veja bem. Um lucro de R$ 8 mil numa loja que fatura R$ 20 mil é uma coisa. Agora, se outra loja fatura R$ 80 mil e lucra os mesmos R$ 8 mil, a margem se mantém em modestos 10%.

Nesse segundo cenário, fica evidente que os custos para bancar o projeto são muito mais altos. Logo, os riscos de prejuízo aumentarão em épocas de baixo movimento. 

Sem tantas entradas, mas com os custos operacionais lá em cima, é bem provável que os gastos superem o faturamento e a empresa feche o balanço no vermelho.

Dica: Entenda a importância do empreendedorismo feminino

Por que calcular o lucro é tão necessário?

O principal motivo para calcular o lucro é saber, de fato, qual é o dinheiro que sobra no mês. Isso ajuda a perceber como anda a saúde financeira da organização. 

Afinal, quanto maior o montante, mais oportunidades os gestores terão para investir em melhorias, ampliar o negócio ou simplesmente guardar dinheiro numa aplicação rentável.

O grande erro de muitas pessoas que empreendem é se deixar iludir pelo volume de vendas. Ora, faturamento elevado até sugere um relativo sucesso. No entanto, se os custos também são altos, todo o esforço para entregar um bom trabalho pode resultar em números irrisórios. 

Nessas horas, vale a pena criar estratégias para cortar despesas e, assim, elevar a margem de lucro.

Dica: 6 sugestões para um melhor controle de gastos no comércio

Precisa de soluções financeiras? Conte com a Cresol

Gostou do artigo de hoje? Esperamos que o conteúdo tenha sido útil. Se você se interessa por educação financeira e empreendedorismo, precisa acompanhar as novidades do blog da Cresol. Toda semana, trazemos dicas para quem quer prosperar nos negócios. Até a próxima!

Categorias: Educação Financeira , Gestão